BioEnergia

A Aperam BioEnergia, com sede em Minas Gerais, se dedica ao manejo florestal sustentável e à produção de carvão vegetal.

Sustentabilidade Ambiental
Aperam BioEnergia no Brasil

Na Aperam BioEnergia, nosso foco é a produção e comercialização de carvão vegetal, madeira, mudas e sementes. Todas provenientes das florestas renováveis de eucalipto de Minas Gerais.

Um desempenho responsável

Nosso manejo florestal é baseado nas melhores práticas e é reconhecido pela certificação Forest Stewardship Council® (FSC®), cujos padrões e princípios conciliam a proteção ambiental (flora, fauna e reservas de água) com benefícios sociais e viabilidade econômica.

Nosso processo de carbonização é realizado sem nenhum combustível extrativo e com extraordinária eficiência energética, reaproveitando o calor e os gases gerados pela incineração para secar a madeira. Como resultado desse processo eficiente e responsável, todo o carvão vegetal produzido vai para os fornos da usina siderúrgica da Aperam, situada no mesmo estado, na cidade de Timóteo, a cerca de 350 quilômetros de distância.

Uma pegada positiva

O carvão vegetal produzido na BioEnergia é utilizado em nosso processo de fabricação de aço como um substituto natural e renovável para os combustíveis fósseis (carvão de coque). Isso nos permitiu erradicar totalmenteo uso de carvão de coque extrativo e torna nosso aço um líder em termos de pegada de CO2 (consulte a página dedicada). A liderança em termos de pegada de CO2 é determinada usando a metodologia padrão do nosso setor, que na verdade não dá o devido crédito aos muitos serviços ecológicos prestados pela floresta (sequestro de carbono e enriquecimento do solo, controle de erosão e abrigo para a vida selvagem).

Nossa opinião é que nossa floresta é na verdade carbono positiva, o que significa que está atuando como sumidouro de carbono. É por isso que nossa unidade BioEnergia é motivo de orgulho para nossas equipes, que produzem aços “verdes”.

Eucalipto e água

Como qualquer vegetação, o eucalipto  precisa de água e nutrientes para sobreviver. Estudos demonstram que ele consome a mesma quantidade de água das florestas nativas. De acordo com os desenvolvimentos tecnológicos atuais, nossas florestas são feitas de mudas clonadas selecionadas. Isso tem duas consequências:

– Apresentam maior eficiência biológica em relação a outros cultivos agrícolas. Em outras palavras, elas produzem mais madeira com menos recursos.  Por exemplo, são necessários mil litros de água para produzir 2 kg de milho,  500 g de batata,  400 g de madeira de cerrado e quase 2,9 kg de madeira  de eucalipto.

– O processo de seleção priva essas plantas das chamadas raízes pivotantes, que atingem os lençóis freáticos. Como resultado, nossas florestas dependem de camadas superficiais de água para um uso totalmente sustentável dos recursos locais, que não colocam em risco as reservas profundas. (Consulte a página dedicada sobre água)