fbpx

Novidades da Aperam

DNA de quem cria – Aperam cria grupo com foco em inovação e desenvolvimento de mercado

Fruto da palmeira será armazenado em contêineres de inox

Fruto da palmeira será armazenado em contêineres de inox

Desenvolver novos produtos e aplicações que atendam ou até mesmo antecipem as necessidades dos clientes é uma das marcas da Aperam. Em 2016, esse jeito de fazer negócios ganhou um reforço com a criação de um grupo que reúne 5 profissionais das áreas Comercial e de Pesquisa com foco em inovação e desenvolvimento de mercado. Conheça um dos projetos em andamento com a equipe responsável pelo desenvolvimento de novas aplicações de inox no agronegócio.

Novos mercados

Não é de hoje que o agronegócio vem contribuindo para o desempenho da economia brasileira. A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) estima que o setor respondeu por 23% do PIB nacional em 2015 e projeções da Macrométrica indicam crescimento médio de 3% ao ano até 2020 do PIB do Agronegócio brasileiro.

Atenta a esse contexto, a Aperam vê no setor grande potencial e vem desenvolvendo uma série de projetos para aplicações de inox. O pontapé inicial foi dado com uma parceria com a Busa, uma das líderes na produção de implementos agrícolas, transportes e logística. Ainda em 2015, as empresas iniciaram as tratativas para testes com o aço inoxidável 410 em caçambas. Esse aço apresenta em sua composição 11% de cromo e é recomendado para situações onde aconteça corrosão e ou abrasão.

No primeiro semestre deste ano uma caçamba em aço 410, que está sendo desenvolvida, será utilizada em fábricas de extração de óleo de palma, em Tailândia, no Pará. “A Busa é fornecedora do maior produtor do país. Visitamos o local, conhecemos o processo produtivo, e verificamos que as caçambas utilizadas atualmente estão com problemas de corrosão e desgaste. Isso Acontece porque durante o cozimento dos cachos de palma, primeira etapa do processo de extração, elas são submetidas à umidade e alta temperatura. Além disso, durante as etapas de carga e descarga as caçambas sofrem abrasão, em função do contato dos cachos de palma e contaminantes com a superfície do aço” comenta Adolfo Viana da área de Pesquisa e Desenvolvimento. Hoje, a solução adotada pelo segmento para a fabricação das caçambas é o aço carbono, material pouco resistente, com vida útil reduzida, para essas condições e que demanda um alto número de manutenções”, explica Iwao Ishizaki, engenheiro de Aplicação e Desenvolvimento de Mercado. Em média, o modelo atual dura seis anos, mas após um terço desse período já é necessário fazer os primeiros reparos.

Eduardo Rodrigues, diretor comercial da Busa, está otimista. Ele acredita que a nova safra do óleo de palma, com colheita prevista para agosto, já pode contar com alguns modelos de inox. “A estimativa é que a região necessite de 500 a 800 caçambas. Talvez possamos ter uns 30% do modelo novo”, projeta.

A Aperam está desenvolvendo outros projetos de novas aplicações voltada ao agronegócio.

Saiba mais

Mais eficiência energética para transformadores? A Aperam irá lançar este ano o aço elétrico de grão superorientado (HGO), inédito no mercado brasileiro. O HGO é resultado de um investimento de mais de US$ 15 milhões na planta industrial de Timóteo (MG). Confira mais sobre esse aço.

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Menu

Clique no botão de edição para alterar esse texto. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.