Revista Espaço

O futuro nas próprias mãos

Projeto estimula educadores e educandos a pensar e agir de modo empreendedor

Quatro escolas públicas estaduais de ensino médio, em Timóteo, receberam, no primeiro semestre, o Programa Cultura Empreendedora no ensino Médio – Despertar, iniciativa da Fundação Aperam Acesita e Sebrae, em parceria com a Superintendência Regional de Ensino de Coronel Fabriciano. No segundo semestre, o programa será levado para os educadores das escolas municipais de ensino fundamental. O objetivo é promover e estimular o empreendedorismo entre jovens estudantes do ensino médio e fundamental, de forma interdisciplinar, transmitindo uma visão de mundo mais ampla, para que eles possam identificar suas potencialidades e despertar para novas oportunidades.

17

Escolas estaduais recebem o Programa Cultura Empreendedora

Por meio da capacitação dos professores em práticas de empreendedorismo, as instituições esperam contribuir para a formação de jovens responsáveis, cooperativos, éticos e comprometidos com o futuro das comunidades.

Para a analista do Sebrae, Larissa Coelho, a credibilidade e a solidez das parcerias foram essenciais para o sucesso da iniciativa. . A sinergia existente facilita a interlocução e torna o projeto ainda mais abrangente. Nas quatro escolas estaduais atendidas, 105 professores tiveram a oportunidade de participar das capacitações, realizadas na Fundação, com carga horária de 16 horas.

18

O diretor Milton Moura quer toda a escola envolvida no projeto

Flávia Soares, coordenadora de projetos da Fundação Aperam Acesita, explica que o módulo destinado ao ensino médio será concluído em outubro com a realização de um Seminário, no qual estão previstas palestras e a apresentação dos projetos práticos desenvolvidos pelas escolas. “Queremos transformar o conhecimento adquirido na capacitação em resultados práticos, aplicáveis. Assim, multiplicamos o conhecimento e disseminamos boas práticas de empreendedorismo entre as escolas também”, afirma. O módulo do ensino fundamental, com 32 horas de capacitação, será encerrado com uma feira na qual os alunos terão a oportunidade de transformar suas ideias em bons negócios.19

“O treinamento tirou a gente da zona de conforto e fez pensar que empreendedorismo não é algo restrito ao ambiente de negócios, mas se aplica até na nossa casa”, afirma o diretor da Escola Estadual São Sebastião Timóteo, Milton Moura. Segundo ele, os 15 professores que participaram do curso já estão trabalhando no projeto que vai envolver os 865 alunos da escola, incluindo os estudantes das séries iniciais e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Compartilhar: