Revista Espaço

Mais eficiente, mais seguro e com menor custo

24

Equipe comemora os bons resultados alcançados pelo projeto

Sistema automatizado de acendimento e supervisão de chama dos queimadores piloto na RB1 reduziu custos e ampliou os ganhos operacionais

A implantação de sistema automatizado para o acendimento dos 68 queimadores pilotos dos três fornos do Recozimento de Bobinas (RB1), na Gerência de Laminação e Acabamento de Inoxidáveis (PLI), trouxe ganhos operacionais e de segurança significativos. A mudança elimina a necessidade de acendimento manual de cada um dos queimadores e da verificação do seu funcionamento, in loco, pelo operador.

O gerente do projeto Marco Pinto enumera ainda mais vantagens do ponto de vista tecnológico. “Vamos reduzir o consumo de gás natural uma vez que, com o novo sistema, os queimadores piloto são desligados automaticamente sempre que os fornos estiverem com temperatura acima de 900ºC”, explica o gerente do projeto. O projeto entrou em operação em agosto e está na fase de acompanhamento.

Comprometimento

A Aperam investiu R$ 380 mil no projeto cujo desenvolvimento, nos últimos seis meses, mobilizou equipes da Laminação a Frio e da Automação e Instrumentação, em parceria com a empresa TMI. Marco Pinto atribuiu ao trabalho integrado e ao comprometimento das pessoas na busca por soluções mais eficientes, a redução acentuada dos custos de implantação, inicialmente previstos em R$ 896,35 mil em 2011. “A definição clara e objetiva do escopo, a utilização de recursos internos para implantação de partes do projeto, a importação direta do material via trade, reduziram fortemente o custo final” conclui.

25

Nilton Gonçalves de Souza: “melhorou demais”

Segurança e Agilidade

Há 27 anos na Aperam, o operador Nilton Gonçalves de Souza descreve mudanças significativas na rotina de acendimento do forno. “Antes, o trabalho era todo manual. A gente pegava um botijão de gás pequeno com um acendedor na ponta e ia percorrendo e regulando, um a um, os 68 pilotos. Essa opera- ção, quando dava tudo certo, demorava duas horas”, conta. Hoje, com a automação, Nilton faz o trabalho à distância, na cabine, ligando todos os pilotos de uma só vez, através do sistema supervisório. “Melhorou demais”, resume.

Competitividade

O projeto permitirá também uma redução no consumo de Gás Natural da ordem de 27.725 Nm3 por mês.

Compartilhar: