Revista Espaço

Diferente sim, “café com leite” não

Vítima de poliomielite, Dirley Ribeiro pratica diferentes modalidades esportivas desde a infância

Uma poliomielite aos sete meses de idade, que não paralisou os movimentos, mas deixou sequelas físicas no lado de direito do corpo, nunca impediu que o operador da Laminação a Quente, Dirley Ramos Ribeiro, 43 anos, há sete na Aperam, praticasse esportes desde a infância. No bairro Santa Cecília, em Timóteo, onde mora desde criança, jogando no gol, ele nunca foi barrado no time pela deficiência e nem tratado como “café com leite” pelos amigos. “Ninguém me dava moleza. Minha deficiência só é percebida visualmente, levo uma vida social e profissional sem limitações”, conta Dirley.

Dos campinhos improvisados aos gramados do Clube do Sesi, onde pratica a tradicional pelada, nas segundas-feiras, com os amigos da Aperam, ele se considera apaixonado pelo futebol. De vez em quando, porém, flerta com outras modalidades esportivas, como a peteca jogada em duplas e a natação. Sobre as Olimpíadas e as Paralimpíadas no Brasil ele acredita que elas entram para a história como um momento especial para todo o mundo. “O povo brasileiro é multirracial e sabe acolher o diferente”, destaca.


Fique sabendo

Há pelo menos 100 anos, o esporte tem disputas entre atletas com algum tipo de deficiência física. Em 1888, em Berlim, na Alemanha, havia a participação de surdos nos esportes. Depois da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), as competições de atletas com deficiência ganharam força mundialmente, com o propósito de acolher o grande número de soldados feridos nos combates.20

O Brasil nas Paralimpíadas

Os primeiros Jogos Paraolímpicos, sob esse nome, foram realizados em Roma, na Itália, em 1960, com 400 inscritos, de 23 países. O Brasil participou pela primeira vez em 1972, na Alemanha. Os jogos das Paralimpíadas do Rio de Janeiro vão até 18 de setembro. Pela primeira vez na história, o país tem atletas nas 22 modalidades do programa de competições. Ao todo, 181 homens e 97 mulheres, totalizando 278 atletas, querem cumprir a meta de levar o Brasil à quinta posição no quadro geral de medalhas. Nos jogos de Londres, em 2012, com 43 medalhas sendo 21 de ouro, o Brasil terminou a competição em 7º lugar.

Fonte: http://www.brasil2016.gov.br/pt-br/ paraolimpiadas/historia

Compartilhar: