Revista Espaço

Diferente sim, “café com leite” não

Vítima de poliomielite, Dirley Ribeiro pratica diferentes modalidades esportivas desde a infância

Uma poliomielite aos sete meses de idade, que não paralisou os movimentos, mas deixou sequelas físicas no lado de direito do corpo, nunca impediu que o operador da Laminação a Quente, Dirley Ramos Ribeiro, 43 anos, há sete na Aperam, praticasse esportes desde a infância. No bairro Santa Cecília, em Timóteo, onde mora desde criança, jogando no gol, ele nunca foi barrado no time pela deficiência e nem tratado como “café com leite” pelos amigos. “Ninguém me dava moleza. Minha deficiência só é percebida visualmente, levo uma vida social e profissional sem limitações”, conta Dirley.

Dos campinhos improvisados aos gramados do Clube do Sesi, onde pratica a tradicional pelada, nas segundas-feiras, com os amigos da Aperam, ele se considera apaixonado pelo futebol. De vez em quando, porém, flerta com outras modalidades esportivas, como a peteca jogada em duplas e a natação. Sobre as Olimpíadas e as Paralimpíadas no Brasil ele acredita que elas entram para a história como um momento especial para todo o mundo. “O povo brasileiro é multirracial e sabe acolher o diferente”, destaca.


Fique sabendo

Há pelo menos 100 anos, o esporte tem disputas entre atletas com algum tipo de deficiência física. Em 1888, em Berlim, na Alemanha, havia a participação de surdos nos esportes. Depois da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), as competições de atletas com deficiência ganharam força mundialmente, com o propósito de acolher o grande número de soldados feridos nos combates.20

O Brasil nas Paralimpíadas

Os primeiros Jogos Paraolímpicos, sob esse nome, foram realizados em Roma, na Itália, em 1960, com 400 inscritos, de 23 países. O Brasil participou pela primeira vez em 1972, na Alemanha. Os jogos das Paralimpíadas do Rio de Janeiro vão até 18 de setembro. Pela primeira vez na história, o país tem atletas nas 22 modalidades do programa de competições. Ao todo, 181 homens e 97 mulheres, totalizando 278 atletas, querem cumprir a meta de levar o Brasil à quinta posição no quadro geral de medalhas. Nos jogos de Londres, em 2012, com 43 medalhas sendo 21 de ouro, o Brasil terminou a competição em 7º lugar.

Fonte: http://www.brasil2016.gov.br/pt-br/ paraolimpiadas/historia

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Menu

Clique no botão de edição para alterar esse texto. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.