Revista Espaço

Planejamento dez é igual a acidente zero

Como a Aperam se preparou para realizar cinco grandes obras que chegaram ao fim sem registro de acidente

pag6_seguranca_cred-inova-producoes-2

Irimar: equipes e líderes mobilizados

 Entre novembro de 2015 e março de 2016, a Usina de Timóteo foi palco de cinco grandes obras: na Aciaria, Alto-Forno 1, Laminação de Tiras a Quente, Laminação a frio de Aços Inoxidáveis e Laminação a frio de Aços Elé- tricos. As iniciativas envolveram mais de 80 empresas e três mil pessoas. O que essas intervenções tiveram em comum, além da importância e magnitude, é o registro de zero acidente e muito planejamento.

O coordenador de projetos, Irimar Novaes Silva, foi o regente dessa orquestra, cujo resultado alcançado em segurança soa como boa música para os ouvidos de todos, especialmente para os profissionais envolvidos. Ele explica que o fator principal de sucesso foi o planejamento minucioso, iniciado logo após a aprovação do projeto, cerca de um ano e meio antes do primeiro dia de obra.

img_5119A antecedência garantiu tempo suficiente para a preparação. “Planejamos as atividades de forma integrada, alinhando as áreas de Engenharia, Saúde e Segurança, Produção, Segurança Patrimonial, RH, Comunicação e Empresas Prestadoras de Serviço”, acrescenta Irimar. “Nossos parceiros se engajaram. Compreenderam a segurança não como obrigação, mas como valor. Isso foi muito positivo”, diz.

“O plano de Segurança feito com mais de 30 dias antes do início de qualquer obra é um instrumento essencial para buscarmos o zero acidente”.

 Rafael Freitas, técnico de segurança

Antes, durante e depois2

Além do planejamento integrado, que considerou as etapas de preparação, execução e testes, destaca-se também o uso da Matriz de Criticidade, ferramenta utilizada para classificar os riscos de cada atividade. Assim, foi possível agir com assertividade, programando ações preventivas e mitigadoras. A tecnologia também teve papel importante. “Utilizamos o drone para a inspeção no topo da chaminé do AF-1.

Na obra da Aciaria usamos um filme 3D na identificação e retirada de interferência, definição da melhor estratégia de montagem e prepara- ção das equipes”, explica Irimar.

Treinar, treinar, treinar

Todas as pessoas que participaram das obras foram treinadas no conhecimento básico da Gestão de Saúde e Segurança da Aperam e no Plano de Segurança, independentemente da função ou do tempo de permanência na obra. Foram mais de 18 mil horas de treinamento, além das abordagens específicas nas Normas Regulamentadoras para trabalhos com eletricidade, altura, espaço confinado, entre outros.

Trabalho dedicado do time

A equipe de segurança da Aperam participou integralmente das obras, dando suporte para elaboração, correção e liberação da documentação pertinente. Diariamente eram realizadas auditorias de chão de fábrica e nível; divulgação imediata dos Reportes Rápidos (O Reporte Rápido é uma ferramenta de comunicação de riscos e perigos que estimula o olhar atento para o ambiente de trabalho, identificando e eliminando situações potenciais causadoras de acidentes e incidentes.) para os gestores do projeto, reuniões para acompanhamento das ações de segurança com apresentação das estatísticas; e a revisão das agendas para liberação das permissões especiais. “As lideranças também desempenharam papel fundamental na mobilização e conscientização, em reuniões diárias e nas auditorias das quais participaram gerentes, diretores e o presidente”, explica Irimar.pag6_drone-2

Compartilhar: