Revista Espaço

Nas batidas do conhecimento

Fundação Aperam Acesita leva exposição inédita à Timóteo

Quais são os caminhos até o coração? Atenção, não estamos falando aqui de amor, mas da parte do corpo humano que pulsa. Mais de três mil pessoas, adultos e crianças, encontraram resposta a essa questão ao conhecer as “Vias do coração”, exposição itinerante montada na Fundação Aperam Acesita, entre abril e maio. Esse foi o primeiro registro da exposição em Minas Gerais. No Brasil, em oito anos já foram mais de 150 mil espectadores.

A mostra faz parte das ações do Programa Eu Pratico Saúde, um novo modelo de gestão da saúde, lançado em 2015, em que a prevenção é o foco. Para Anísio Cabral, gerente Executivo de RH, “desta forma, a Aperam procura enfatizar o valor da prevenção, por entender que essa é a melhor opção para os envolvidos, minimizando os impactos de doenças evitáveis na vida de todos bem como buscando a sustentabilidade de todo o programa de saúde da Aperam”. Parceira na iniciativa, a Fundação, por sua vez, reforça sua diretriz educacional ao apostar em um evento diferenciado, que atraiu turmas de todas as idades. “O resultado foi muito positivo. O ineditismo da exposição, o caráter lúdico e didático conquistou o público”, destaca Kelly Soares, coordenadora de projetos.

Para a pedagoga Rosiliana Gabriel, que levou cerca de 200 alunos da Escola Estadual Capitão Egídio Lima, a exposição foi uma oportunidade para vivenciar uma experiência nova. O envolvimento dos estudantes durante as visitas se mostrou muito forte. “Quando a Fundação nos proporciona Arquivo Fundação Aperam Acesita ações como essa não podemos perder. Eles se divertiram e aprenderam. Não se trata apenas de sair da rotina de sala de aula, mas de complementar o que foi ensinado”, avalia.

Exposição

Nove estações equipadas com jogos eletrônicos e atividades monitoradas reuniam informações e curiosidades sobre sistema circulatório: quantas vezes o coração já bateu desde o nascimento, qual o comportamento da pressão arterial em diversas situações do dia a dia e que tal ouvir os batimentos cardíacos?

Além da recreação, o projeto criado pela parceria entre Museu da Vida (Casa de Oswaldo Cruz/Fiocruz) e o Grupo Sanofi também alerta para os perigos que rondam o coração: as doenças cardiovasculares (aterosclerose), hipertensão e diabetes.

pag10-3

Alunos de várias escolas conheceram melhor o funcionamento do órgão

Compartilhar: