Revista Espaço

Games e sets entre família e amigos

Tênis é hobby de um grupo de empregados, entre eles, Alexandre e Marcos

 Subida na rede, voleio, quebra de serviço. Quem vai assistir as partidas tênis das próximas Olimpíadas, no Rio de Janeiro, deve conhecer bem o significado dessas expressões.

Alexandre Tavares, assistente técnico da Gerência de Automação e Instrumentação planeja acompanhar pela TV ou pelo celular no grupo de amigos tenistas. Sempre tem um deles informando sobre partidas e resultados. A turma reúne colegas de trabalho e familiares.

4

O assistente pratica quatro vezes por semana (cerca de oito horas) e participa de competições. Em 2015, foram cinco torneios e três conquistas. Passadas as férias deste ano, ele já iniciou os treinos. Na preparação, Alexandre faz musculação e corridas. “O nível de desgaste é menor do que o futebol, por exemplo. O fato de não ter contato físico com o adversário é outro fator que contribui para a participação de pessoas de todas as idades”, destaca.

A primeira vez em uma quadra foi ainda na infância. “Meus pais faziam questão, eu praticava futebol, natação e tênis”, lembra. Hoje, pelo menos sete parentes, entre eles o pai de Alexandre, frequentam as quadras com regularidade. O esporte é apontado por ele como uma boa maneira para estreitar as relações pessoais. “Conheci amigos na empresa por meio do tênis. A modalidade de duplas ajuda muito a se comunicar melhor e a fortalecer o espírito de equipe”, pontua.

Desde criança Marcos Bruno Oliveira, advogado da área Jurídica, tinha a vontade de aprender a jogar tênis. Há dois anos, ele colocou em prática esse desejo. Além das duas aulas semanais, Marcos treina com os amigos nos finais de semana. “Já é a minha principal atividade física e a cada dia gosto mais”.

pag12_alexandre_-inova-producoes-2

Alexandre pratica com familiares e amigos da Aperam

Compartilhar: