Revista Espaço

A doce vocação do Vale

pag11_apicultores_bioenergia_-cred-inova-producoes

Workshop atraiu mais de 200 apicultores de diversos municípios da região

Produtores de mel recebem treinamento do projeto Apicultura em Rede

Nascido e criado na roça, há 14 anos, Abelino Cordeiro, 51, decidiu que era hora de abandonar a lavoura e buscar na produção de mel um modo mais rentável de ganhar a vida e sustentar a família de quatro filhos. Hoje, muitas ferroadas depois – “as bichas são brabas”, ele diz -, o produtor de mel, de Veredinha, segue confiante na vocação do Vale do Jequitinhonha como principal polo produtor no estado e no país.

Para ele, o projeto “Apicultura em Rede no Vale” (O Projeto Apicultura em Rede foi viabilizado pelo Edital de Projetos da RedEAmérica “Fundo Comunidade em Rede” e realizado pela Aperam BioEnergia, Fundação Aperam Acesita e RedEAmérica – Bloco Brasil. Participaram apicultores da Associação Apícola de Itamarandiba (Apita) e da Associação de Apicultores de Veredinha (Aapiver).) desempenhou papel fundamental no estímulo ao desenvolvimento dos apicultores. “Aprendi muito sobre higiene e a ter capricho com a produção”, afirma.

Trabalho concluído

3Com a participação de 210 profissionais ligados à cadeia produtiva do mel, a capacitação foi concluída com um workshop, no final de fevereiro, em Itamarandiba. “Tivemos a presença de representantes de diversos municípios do Vale do Jequitinhonha”, observa a analista de Relações com as Comunidades da Aperam BioEnergia, Fernanda Correia.

Para Domingos Oliveira, vice-presidente da Associação de Apicultores de Veredinha (Aapiver), o principal ganho consistiu em apresentar aos apicultores como aprimorar e extrair o melhor do seu negócio com informações, técnicas e práticas de gestão, aumentando a produtividade das colmeias.

Em 2015, a seca que atingiu a região trouxe impactos negativos para a produção. “Estamos confiantes neste ano. Com a aplicação das técnicas e conhecimentos adequados prevemos produzir 60 toneladas”, destaca o produtor.

“Comecei a ser apicultor depois do meu pai. O projeto trouxe muito conhecimento para nosso dia a dia. Técnicas de manejo e gestão do apiário, como a troca de rainha nos ajudam a aumentar a produção”.

Jhonathan Froes, 20 anos, apicultor de Itamarandiba

Compartilhar: