Revista Espaço

Finanças responsáveis

PGF oferece apoio e orientação a empregados no planejamento financeiro familiar

13

Com “controle maior do dinheiro”, Lincoln dos Santos foi um dos empregados beneficiados pelo PGF

Criado em setembro de 2008 para auxiliar os empregados a controlar melhor suas finanças, o Programa de Gestão Financeira Familiar (PGF) inicia 2011 com um balanço positivo de suas atividades. Mais de 380 empregados já participaram das palestras com os consultores financeiros e, atualmente, 88 estão vinculados ao programa.

O PGF possui três módulos. O preventivo consiste em um treinamento com o intuito de orientar os participantes a terem um cuidado maior com suas finanças. Já o módulo curativo é voltado para aqueles que estão com a situação financeira instável e oferece auxílio na construção de um planejamento para o pagamento de dívidas, enquanto o módulo investimento está centrado na promoção do hábito de poupança e investimento.

“O projeto é uma oportunidade para o empregado mudar seu comportamento e administrar sua vida financeira de forma responsável e sustentável, melhorando a qualidade de vida da sua família”, define Vera Antunes, assistente social do PGF e coordenadora de projetos da Fundação Aperam Acesita.

Many Maria Moreira, analista de Recursos Humanos e líder da equipe responsável pelo PGF, completa: “A dificuldade de controlar as finanças pode causar um estresse grande no empregado, comprometendo não só o seu rendimento no trabalho, mas também sua saúde e até o relacionamento familiar”.

Com as contas em dia

Em 2008, o auxiliar de estatística Lincoln dos Santos percebeu que suas finanças estavam fora de controle e decidiu aderir ao PGF. “Conversei antes com meu gerente, minha família e a entidade financeira”, conta. Depois de participar do treinamento do módulo preventivo, Lincoln foi encaminhado a um consultor financeiro que o ajudou a calcular o montante total da dívida e a elaborar um plano para quitá-la, utilizando, todo mês, uma taxa consignada de seu salário. A primeira parcela foi paga em janeiro de 2009.

Dois anos depois, em janeiro de 2011, Lincoln conseguiu concluir o programa e acertar sua situação financeira. “Agora eu tenho um controle maior do meu dinheiro”, afirma.

Até o início desse ano, 13 empregados já quitaram por completo suas dívidas.

Compartilhar: