Revista Espaço

Olhar de lupa

Novo projeto avalia fluxo de fabricação de produtos em busca de maior competitividade no mercado

O espírito de melhoria contínua é cada vez mais forte dentro da ArcelorMittal Inox Brasil com o desenvolvimento de diversos programas. Em mais uma parte desse ciclo, a Empresa lançou o projeto Custo Ideal por Produto, ferramenta de otimização de despesas para aumentar a eficiência operacional e reduzir custos para alcançar maior competitividade. “A novidade é que agora vamos analisar o fluxo dos produtos em vez dos processos produtivos isoladamente”, explica Ivana Coelho, gerente de Melhoria Contínua e Qualidade.

A equipe responsável pelas análises é formada por 14 empregados, divididos em duas coordenações: uma para o setor de aços elétricos e outra para o de inox. Primeiramente, serão observadas todas as etapas de produção dos aços GNO (P920P), GO (P999), K30, P304A, K09 e K39 MD. “Verificaremos a composição das fases de fabricação desses aços, desde o gusa até a embalagem, buscando identificar pontos em que é possível obter melhorias operacionais e reduzir custos”, afirma Cláudio Gomes, assistente técnico da Melhoria Contínua.

“Temos que manter um trabalho de atenção aos nossos custos em razão da disputa cada vez maior pelos clientes. Esse projeto é mais um exemplo do comprometimento das equipes em reforçar e aumentar nossa competitividade no complexo mercado dos aços inoxidáveis e elétricos”, destaca Jaime Gasparini, diretor de Produção.

O projeto conta com apoio e mobilização de todas as áreas, o que pode ser medido pela presença de 128 empregados no evento de lançamento. “O envolvimento de toda a Empresa propicia o aprendizado e a consolidação do conceito de custo industrial, trazendo-o para o dia a dia da Usina”, afirma o gerente geral de Aço Inox, Marco Antônio Nunes de Carvalho.

“O envolvimento de toda a Empresa propicia o aprendizado e a consolidação do conceito de custo industrial, trazendo-o para o dia a dia da Usina”.

Marco Antônio Nunes de Carvalho.

Compartilhar: