Revista Espaço

Um jeito mais rápido de revestir

Centro de Pesquisas põe em operação máquinas que simulam a aplicação de revestimentos para aços GNO

O Centro de Pesquisas da ArcelorMittal Inox Brasil adquiriu dois equipamentos que permitem simular, em laboratório, a linha de produção de revestimentos dos aços elétricos de grão não-orientado. Trata-se do forno de cura rápida e da máquina de revestir Reverse Roll, usados na simulação das operações.

“Com esses equipamentos, podemos analisar prontamente todo o processo de aplicação e secagem dos revestimentos em chapas de aço elétrico, encontrando soluções e materiais mais adequados aos nossos processos”, conta Mardlírio Martins, técnico do Centro de Pesquisas e responsável pela operação dos dois equipamentos. Graças aos dois equipamentos, a simulação do processo de revestimento permite identificar vernizes com melhores características (isolamento, aderência, resistência aos tratamentos térmicos). “Além disso, é possível identificar vernizes de secagem rápida, que podem ser utilizados com velocidades de até 120 metros por minuto, garantindo a produtividade máxima das linhas de produção”, informa o pesquisador Ângelo José de Faria Fonseca.

5

Ângelo Fonseca e Mardilírio Martins trabalham com os novos equipamentos do Centro de Pesquisas

De acordo com ele, as máquinas servirão de suporte à realização de estudos para buscar formas de diminuir o tempo gasto na secagem dos vernizes e tintas aplicados nas chapas. “Em laboratório, já testamos uma grande quantidade de materiais de boa qualidade e que secam rapidamente. Queremos melhorar ainda mais”, ressalta Ângelo.

O investimento, de cerca de R$ 280 mil, foi acompanhado de perto pela equipe do Centro de Pesquisas. “Fui a São Paulo testar as máquinas antes de finalizar a compra”, diz Mardlírio. A expectativa agora é pela realização de experimentos em escala industrial com novos materiais, já testados em laboratório, que serão realizados em breve.


Centro de Pesquisas

Há 15 anos, o Centro de Pesquisas da ArcelorMittal Inox Brasil desenvolve métodos e estudos para melhorar a qualidade e a produtividade dos aços fabricados pela Empresa. No segmento de aços elétricos, além da pesquisa em revestimentos, o Centro de Pesquisas busca soluções para a produção de aço silício de grão super orientado (modalidade que possui uma orientação de grãos maior que o aço silício de grão orientado convencional, resultando em melhores propriedades magnéticas), aço elétrico para motores de carros híbridos e ainda para a melhoria de qualidade magnética do aço elétrico. Hoje, o setor conta com 40 integrantes entre pesquisadores, técnicos e operadores.

Compartilhar: