Revista Espaço

Promoção do Desenvolvimento de Base

Ações planejadas pela Empresa em 2010 levam educação e desenvolvimento ao Norte de Minas

18

Grupo da Boa Fé Forquilha já iniciou construção de novo centro comunitário em Minas Novas

Já são seis anos de atuação no Vale do Jequitinhonha e mais de 28 mil pessoas beneficiadas. Desde 2004, a Fundação ArcelorMittal Acesita conduz um trabalho para melhoria da qualidade de ensino, conscientização ambiental, promoção social e geração de renda nas comunidades da região. As iniciativas buscam o desenvolvimento sustentável nos municípios de Capelinha, Minas Novas, Itamarandiba, Turmalina, Veredinha e Carbonita.

Mesmo a região estando, desde 2008, na área de abrangência da ArcelorMittal BioEnergia, o trabalho desenvolvido pela Fundação não para. Neste ano, em Itamarandiba, a Associação Amar e Renascer (AAMAR) acaba de receber os direitos para usar, por 20 anos, um terreno de aproximadamente 19 hectares. A área, pertencente à ArcelorMittal Inox Brasil, será utilizada para a construção da Unidade de Tratamento e Recuperação de jovens e adultos com dependência química da região do Alto Jequitinhonha.

Já em Minas Novas, o Grupo da Boa Fé Forquilha conseguiu aprovação e apoio financeiro para o projeto de construção de um Centro Comunitário junto à Fundação e à RedEAmérica e firmou parceria com a Prefeitura para cessão de terreno. Além disso, a comunidade foi mobilizada e voluntariamente participa da construção do Centro, que tem inauguração prevista para dezembro. Conquistas como essas vêm sendo acompanhadas de perto pela Fundação e pela equipe de Responsabilidade Social da ArcelorMittal BioEnergia, com assessorias sobre gestão, elaboração de projetos, captação de recursos e fortalecimento institucional.

O mesmo trabalho vem sendo realizado em parceria com a Associação de Apicultores de Veredinha (AAPIVER), que participa de processo seletivo da RedEAmérica para captação de recursos que serão destinados à construção da “casa do mel” e à qualificação da cadeia produtiva da apicultura do município.

O Programa de Desenvolvimento de Comunidades tem como objetivo incentivar ações coletivas das organizações de base para gerar sustentabilidade, facilitar a aprendizagem social no desenvolvimento dos projetos, fortalecer a capacidade de controle e apropriação da comunidade sobre seus projetos.

Para atingir esse objetivo, a metodologia do desenvolvimento de base passa pela utilização de algumas ferramentas: diagnóstico para conhecimento da comunidade com seus ativos e desafios; encontros junto com lideranças comunitárias para articulação de parcerias estratégicas; mobilização de voluntários com capacitação e formação das pessoas envolvidas e monitoramento dos processos e avaliação dos resultados alcançados.

Experiências bem-sucedidas também podem ser percebidas nas associações de artesãos de Turmalina, Carbonita, Minas Novas e Itamarandiba, que receberam capacitações em gestão, produto e embalagem; assessoria para melhoria de seus processos; e apoio para comercialização, no período de 2004 a 2008. Hoje, conseguem caminhar com as próprias pernas. “Nesses casos, mantemos um monitoramento a distância dos processos e resultados”, explica Salete Silva, coordenadora de projetos da área de Promoção Social da Fundação ArcelorMittal Acesita.

A Fundação ArcelorMittal Acesita, a ArcelorMittal BioEnergia e a AAMAR, receberam, em outubro, da Prefeitura de Itamarandiba, uma moção em agradecimento e parabenização, como reconhecimento do trabalho realizado na região.


O olhar da juventude sobre o verde

Até o fim de novembro, o Centro Cultural da Fundação ArcelorMittal Acesita oferece a Mostra Educação Faz Arte, que chega à 12ª edição com o tema Juntos protegemos nosso verde. Os 166 desenhos e colagens produzidos por alunos das escolas de Timóteo ganham destaque com o objetivo de conscientizar a comunidade sobre os riscos das queimadas e suas implicações ambientais.

Para auxiliar no processo de criação dos trabalhos, a Fundação proporcionou às escolas a apresentação de palestras informativas e a intervenção teatral Fogo é fogo, da Campanha de Prevenção de Incêndios Florestais. Cada escola pôde inscrever seis trabalhos. “Além da conscientização ambiental, o projeto nos permite estimular o fazer artístico por meio da educação e favorecer a manifestação de talentos entre os estudantes de Timóteo”, reforça Marilene.

Na abertura da exposição, em 1º de outubro, comissão julgadora composta por representantes do Plano de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais de Timóteo elegeu os três melhores trabalhos. O autor de cada obra escolhida ganhou uma bicicleta. Além da Mostra, realizada anualmente, a área de Educação e Cultura, por meio do Programa Cultura e Cidadania, promove peças teatrais nas escolas e organiza visitas a exposições e museus durante todo o ano.

19

Mostra Educação Faz Arte chama a atenção de crianças para o risco de queimadas

Confira os três trabalhos premiados

  • Escola Municipal Infantil Monteiro Lobato – Felipe Dias Amaral
  • Escola Estadual Capitão Egídio Lima – Marco Túlio de Oliveira Trindade
  • Escola Estadual São Sebastião – Antoniel Junio Siqueira Santos
Compartilhar: