Revista Espaço

Energia sustentável

Projeto de mudança das fontes de energia da ArcelorMittal Inox Brasil chega à última fase

“Frente à expectativa de aumento no consumo de tubos flexíveis, vasos, tanques, dutos e conexões pelo setor petroquímico, a ArcelorMittal Inox Brasil vem inovando sua linha de aços inoxidáveis, que sempre apresenta uma solução sustentável para qualquer aplicação”.

Paulo Magalhães

4

(da esq. para dir.) Sérgio Mendes, prefeito de Timóteo, Roberto Garcia, diretor Comercial da Gasmig, Paulo Magalhães, presidente da Empresa, Rafael Mata Filho, do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (INDI), e Clênio Guimarães, diretor de Produção

Setembro marcou o fim de uma obra que tornará a operação da Empresa ainda mais sustentável: a construção de um gasoduto com mais de 330 quilômetros de extensão e capacidade para transportar 2,4 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.

O empreendimento, executado pela Gasmig com participação financeira da ArcelorMittal Inox Brasil, é uma das fases do projeto de migração da matriz energética da Empresa do GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) para o GN (Gás Natural).

É o primeiro grande investimento finalizado pela Empresa após a crise econômica, com um aporte de US$ 22 milhões. “O gás natural trará uma economia de 30% no consumo”, destaca Irimar Novaes, engenheiro de Projetos. Atualmente, o GLP representa quase 40% da matriz energética da ArcelorMittal Inox Brasil. Desde setembro, essa matriz começou a mudar e o GN passou a ser utilizado no forno Walking Beam 2 (WB2), que consome sozinho 38% de todo o gás usado na Empresa. O objetivo é que, em março de 2011, cerca de 90% do consumo de GLP tenha sido substituído pelo gás natural.

Para isso, foram desenvolvidas três etapas: construção do gasoduto; criação de uma rede interna de distribuição de gás; adaptação de 14 equipamentos para um sistema flex de abastecimento, que comporta tanto o gás natural quanto o GLP. “Quando a Gasmig disponibilizou o GN em nossas instalações, toda nossa infraestrutura, incluindo a rede interna e a preparação dos equipamentos, já havia sido concluída pela Engenharia de Projetos”, explica Roberto Manella, assistente da Diretoria Técnica.

Seguro e em conformidade

A segurança foi um dos pontos mais valorizados pelo projeto. Toda a rede está de acordo com as normas nacionais para esse tipo de empreendimento (NBR 15358 e NBR 15526). “Além disso, o gás natural é mais favorável ao meio ambiente e à segurança”, defende Redeir Magela, gerente de Distribuição de Fluídos e Manutenção.

Como o gás natural é menos denso que o ar, em caso de vazamentos, sua tendência é subir e se dispersar mais rapidamente. Já o GLP se mantém próximo ao chão, aumentando as chances de incêndio.

Inauguração

No dia 22 de outubro foi celebrado o início das operações com o gás natural em cerimônia na Empresa. O evento contou com a presença de autoridades regionais, diretores e profissionais da ArcelorMittal Inox Brasil e do presidente Paulo Magalhães, que agradeceu a todos os empregados e fez questão de ressaltar as vantagens do gasoduto: “mais do que uma solução operacional para a Empresa, o gás natural representa um adicional competitivo para todo o Vale do Aço e nos abre novas perspectivas”, disse.

Compartilhar: