Revista Espaço

Energia sustentável

Projeto de mudança das fontes de energia da ArcelorMittal Inox Brasil chega à última fase

“Frente à expectativa de aumento no consumo de tubos flexíveis, vasos, tanques, dutos e conexões pelo setor petroquímico, a ArcelorMittal Inox Brasil vem inovando sua linha de aços inoxidáveis, que sempre apresenta uma solução sustentável para qualquer aplicação”.

Paulo Magalhães

4

(da esq. para dir.) Sérgio Mendes, prefeito de Timóteo, Roberto Garcia, diretor Comercial da Gasmig, Paulo Magalhães, presidente da Empresa, Rafael Mata Filho, do Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais (INDI), e Clênio Guimarães, diretor de Produção

Setembro marcou o fim de uma obra que tornará a operação da Empresa ainda mais sustentável: a construção de um gasoduto com mais de 330 quilômetros de extensão e capacidade para transportar 2,4 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia.

O empreendimento, executado pela Gasmig com participação financeira da ArcelorMittal Inox Brasil, é uma das fases do projeto de migração da matriz energética da Empresa do GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) para o GN (Gás Natural).

É o primeiro grande investimento finalizado pela Empresa após a crise econômica, com um aporte de US$ 22 milhões. “O gás natural trará uma economia de 30% no consumo”, destaca Irimar Novaes, engenheiro de Projetos. Atualmente, o GLP representa quase 40% da matriz energética da ArcelorMittal Inox Brasil. Desde setembro, essa matriz começou a mudar e o GN passou a ser utilizado no forno Walking Beam 2 (WB2), que consome sozinho 38% de todo o gás usado na Empresa. O objetivo é que, em março de 2011, cerca de 90% do consumo de GLP tenha sido substituído pelo gás natural.

Para isso, foram desenvolvidas três etapas: construção do gasoduto; criação de uma rede interna de distribuição de gás; adaptação de 14 equipamentos para um sistema flex de abastecimento, que comporta tanto o gás natural quanto o GLP. “Quando a Gasmig disponibilizou o GN em nossas instalações, toda nossa infraestrutura, incluindo a rede interna e a preparação dos equipamentos, já havia sido concluída pela Engenharia de Projetos”, explica Roberto Manella, assistente da Diretoria Técnica.

Seguro e em conformidade

A segurança foi um dos pontos mais valorizados pelo projeto. Toda a rede está de acordo com as normas nacionais para esse tipo de empreendimento (NBR 15358 e NBR 15526). “Além disso, o gás natural é mais favorável ao meio ambiente e à segurança”, defende Redeir Magela, gerente de Distribuição de Fluídos e Manutenção.

Como o gás natural é menos denso que o ar, em caso de vazamentos, sua tendência é subir e se dispersar mais rapidamente. Já o GLP se mantém próximo ao chão, aumentando as chances de incêndio.

Inauguração

No dia 22 de outubro foi celebrado o início das operações com o gás natural em cerimônia na Empresa. O evento contou com a presença de autoridades regionais, diretores e profissionais da ArcelorMittal Inox Brasil e do presidente Paulo Magalhães, que agradeceu a todos os empregados e fez questão de ressaltar as vantagens do gasoduto: “mais do que uma solução operacional para a Empresa, o gás natural representa um adicional competitivo para todo o Vale do Aço e nos abre novas perspectivas”, disse.

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Menu

Clique no botão de edição para alterar esse texto. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.