Revista Espaço

Diretor de RH da ArcelorMittal assume segmento Inox

3

Bernard Fontana, novo CEO de Inox, visitou a Usina de Timóteo

Bernard Fontana, Vice-Presidente Executivo da ArcelorMittal e diretor de Recursos Humanos do Grupo, foi anunciado como novo CEO do segmento de Aços Inoxidáveis. Ele substitui Jean-Yves Gilet, que desde setembro é diretor-geral do Fundo Estratégico de Investimento Francês (FSI). De nacionalidade francesa, Fontana é formado em Engenharia pela Escola Politécnica (Ecole Polytechnique) e pela Escola Nacional Superior de Técnicas Avançadas (Ecole Nationale Superieure dês Techniques Avancées) de Paris. Iniciou sua carreira no Grupo Arcelor em 2004, como gerente executivo Aços Carbono Planos. Na ArcelorMittal, integrou o Comitê de Gerenciamento da Empresa até se tornar CEO do setor Automotivo Mundial. “Bernard Fontana tem uma trajetória brilhante tanto em áreas operacionais quanto comerciais do Grupo e possui totais condições de dirigir nossa divisão de Aços Inoxidáveis”, afirmou o CEO da ArcelorMittal, Lakshmi Mittal.


Visita a Timóteo

Nos dias 14 e 15 de outubro, Bernard Fontana, acompanhado do presidente da ArcelorMittal Inox Brasil, Paulo Magalhães, esteve na Usina de Timóteo para conferir pessoalmente a implantação do projeto de abastecimento do Alto-Forno II de carvão vegetal, do gasoduto e do desenvolvimento do HGO. O novo CEO falou à Revista Espaço sobre os primeiros desafios da sua gestão.

Quais são os principais desafios do Setor Inox da ArcelorMittal?

Nosso primeiro desafio é melhorar os resultados de segurança. Enfrentamos uma fatalidade este ano e a nossa taxa de frequência de acidentes com perda de tempo está acima da meta até o momento. Para corrigir essa situação, conto com o envolvimento, compromisso e responsabilidade de todos os empregados e terceiros e com apoio do sindicato.

Que ganhos o setor poderá obter com o projeto spin-off?

Ao criarmos uma empresa dedicada ao inox e aços especiais, essa nova unidade alocará seus recursos financeiros de acordo com suas próprias prioridades. Com isso, teríamos um controle mais direto do nosso próprio futuro.

Após a visita, qual é a sua impressão sobre a Empresa e que mensagem deixaria aos colegas brasileiros?

Fiquei impressionado com a qualidade e a motivação dos empregados daqui e também com as ótimas ferramentas e tecnologias que utilizamos para satisfazer nossos clientes. Dou meus parabéns a todos! Ao mesmo tempo, enfrentamos uma competição mais forte com outros países que não têm as mesmas desvantagens em relação a custo. Cabe às equipes de Timóteo implantar as mudanças necessárias para restaurar essa competitividade sólida.

Compartilhar: