Revista Espaço

Todos por um

Trabalho em equipe garante melhorias no processo de retirada de resíduos refratários do forno Pusher

7

Esteira instalada no forno Pusher garante mais ergonomia e segurança ao processo de retirada de resíduos refratários

Um novo procedimento adotado na gerência de Manutenção de Laminação a Quente garantiu mais produtividade e melhor ergonomia para o trabalho de retirada de resíduos do interior do forno Pusher(Responsável por processar os aços elétricos de grão orientado (GO). As campanhas de produção ocorrem em intervalos aproximados de 20 dias.). Antes da intervenção, toda a escória e os resíduos refratários gerados a partir da demolição do interior do forno eram removidos com carrinhos de mão e transportados até um recipiente, chamado caixa brook, para serem reciclados, reaproveitados ou despachados para o pátio de resíduos. Eram necessárias, em média, 800 viagens para retirar as cerca de 40 toneladas de material do forno. Uma área de descanso permitia o revezamento, a cada 30 minutos, dos empregados terceirizados envolvidos na tarefa.

O projeto de melhoria contemplou a instalação de duas esteiras móveis e de uma esteira fixa de 21 metros ao longo de todo comprimento do equipamento. “Com isso, a escória é transportada até a caixa brook sem esforço”, explica Wild Gonçalves de Souza, analista em Refratários e integrante do grupo de nove empregados responsável pelo projeto.

Além da evolução ergonômica da área, com a redução do esforço físico dos empregados, o tempo de demolição e limpeza dos resíduos do forno caiu de quatro para dois dias. Giovani Magri Leão, analista técnico mecânico e também integrante do grupo, destaca o excelente planejamento e o trabalho em equipe. “Foi o diferencial do projeto, pois a montagem do equipamento ocorreu no mesmo espaço e intercalado ao trabalho de remoção da escória”, conta.


“Foi o diferencial do projeto, pois a montagem do equipamento ocorreu no mesmo espaço e intercalado ao trabalho de remoção da escória”.

Giovani Magri Leão

Compartilhar: