Revista Espaço

A promessa do Oriente

ArcelorMittal Inox Brasil lidera ousado projeto para a construção de usina de aços elétricos na China

15

Equipe reunida na China, após a formalização do acordo entre ArcelorMittal e Valin

Nada menos do que o maior mercado do mundo – e também o que mais cresce – é o alvo do acordo firmado entre ArcelorMittal, Valin Group e Valin Steel para a implantação de dois grandes projetos de produção de aços automotivos e elétricos em Loudi, província de Hunan, na China. Duas joint ventures(Figura jurídica que resulta da associação de duas ou mais empresas, definitiva ou não, com o objetivo de explorar determinado negócio, sem que nenhuma delas perca sua própria identidade) foram formadas para viabilizar os novos negócios. Por seu conhecimento, expertise dos profissionais e domínio de processo, a ArcelorMittal Inox Brasil foi escolhida para coordenar uma delas, voltada para a construção de uma unidade de aços elétricos de grão orientado (GO) e grão não-orientado (GNO).

16

Geraldo Magela de Faria, assistente técnico especializado, Leonam Almeida, Eduardo Brito e Jorge Silva: de malas prontas para encarar o desafio

Em cerimônia realizada para lançamento da pedra fundamental, Lakshimi Mittal, Chief Executive Officer (CEO) do Grupo, destacou a importância da parceria com a Valin para a estratégia de crescimento da ArcelorMittal. “É uma grande satisfação trazer nossa expertise tecnológica para oferecer produtos de alta qualidade ao mercado chinês. Vislumbramos a expansão dessa parceria nos próximos anos”, declarou.

Cerca de US$ 1 bilhão será investido nas duas fases de construção da nova unidade de aços elétricos, batizada de Valin ArcelorMittal Eletrical Steels  (VAME). As obras de infraestrutura foram iniciadas em outubro de 2009, com previsão de término da primeira etapa em 2012, quando a unidade entra em produção com metade de sua capacidade. A segunda fase está planejada para ser concluída em 2014. Ao final das obras, a usina será capaz de produzir 600 mil toneladas de aço elétrico por ano, sendo 200 de GO e 400 de GNO nos melhores padrões internacionais.

“A escolha da ArcelorMittal Inox Brasil para liderar um projeto estratégico dessa envergadura é uma clara demonstração da confiança e do respeito conquistados por nossos profissionais dentro do Grupo”, destaca o presidente da ArcelorMittal Inox Brasil, Paulo Magalhães.

Dimensões continentais

Com três milhões de habitantes, Loudi, onde será instalada a nova unidade, é uma cidade relativamente pequena para os padrões chineses. A República Popular da China é o terceiro maior e o mais populoso país do mundo, com 1,3 bilhão de pessoas. Famosa pela pimenta, pelo chá e berço do ex-presidente (1943-1976) Mao Tsé- Tung, a província de Hunan abriga três usinas de aços carbono do Grupo Valin, ao qual a ArcelorMittal já era associada antes do acordo, com 33% de participação.

“Como parte de nossa visão de desenvolvimento internacional, buscamos um investidor estratégico. Agora, apoiados sobre ombros de gigante, começamos a materializar nossa visão para nos transformarmos em provedores de soluções em aço integradas, competitivas e modernas”, projeta Li Xiaowei, presidente do Grupo Valin.

Eduardo Brito, coordenador do projeto pela ArcelorMittal Inox Brasil, destaca o potencial do mercado para absorver a futura produção e os benefícios para a Empresa de participar dessa empreitada. “Atualmente, o consumo de aço elétrico GO da China é 12 vezes maior que o do Brasil e mais de 20 vezes maior quando falamos em GNO. Ao colocar nossos pés em um mercado dessa dimensão, estamos também abrindo um importante canal para nossos produtos no maior mercado e também de mais rápido crescimento no mundo”, acredita.

Estado da arte

Leonam Oliveira de Almeida, gerente geral de Aços Elétricos, também colocará o conhecimento acumulado ao longo de 32 anos na ArcelorMittal Inox Brasil a serviço do projeto. “É muito mais que um desafio. Trata-se de uma rara oportunidade de participar de um projeto único, no local e no momento certos. Compartilhar conhecimento é a melhor forma de aprendizado”, acredita Leonam.

O analista consultor Jorge Luiz Pereira da Silva, há 24 anos na ArcelorMittal Inox Brasil, será responsável pela gestão tecnológica da nova unidade e concorda com Leonam: “O eixo econômico mundial tende a se deslocar para a China. Essa oportunidade será também muito útil para o desenvolvimento de nossas equipes, aproveitando o acesso e a proximidade com o mercado chinês para formarmos os profissionais que farão a gestão da ArcelorMittal Inox Brasil no futuro”, acrescenta Jorge.

O portfólio de aços elétricos da VAME refletirá as mais modernas tecnologias, com foco em toda a cadeia de geração, transmissão, distribuição e consumo de energia. “A China é também líder mundial em veículos de tração elétrica em duas rodas e avança rapidamente no desenvolvimento de carros elétricos, motivada por preocupações ambientais e pela dependência do petróleo externo. Tudo isso faz da indústria automobilística chinesa outro importante consumidor em potencial”, acrescenta Eduardo. O país conta hoje com 32 fabricantes de motos elétricas e alcançou a significativa marca de aproximadamente um milhão de carros vendidos por mês no mercado interno.

Ainda segundo Eduardo Brito, a nova usina será uma referência nesse segmento de negócios, reunindo o que há de mais moderno e competitivo em termos de tecnologia e qualidade. “Aplicaremos o que há de melhor, dos equipamentos aos processos, para alcançar o ‘estado da arte’ na produção de aços elétricos GO e GNO, condição necessária para competitividade no mais disputado mercado mundial”, garante.

Compartilhar: