Revista Espaço

O aço que reinventa o Brasil

Sempre se renovando, ArcelorMittal Inox Brasil completa 65 anos, cada vez mais presente na sua vida e na construção do país

9

Ponte Estaiada Octavio Frias de Oliveira, em São Paulo, é um marco da arquitetura mundial que também leva o brilho do inox

Dia 31 de outubro, marco de inauguração do arrojado empreendimento que, em 1944, iniciou o desenvolvimento industrial do Vale do Aço, a ArcelorMittal Inox Brasil comemora 65 anos. Sempre se antecipando às fronteiras do crescimento experimentadas pelo país, a história da Empresa se confunde com a do próprio Brasil. Com atuação também destacada em mercados mundiais de alta exigência tecnológica, que trazem elementos essenciais para alimentar seu permanente apetite pela inovação, a ArcelorMittal Inox Brasil garante sua participação na construção do futuro.

Enxadas, pás, picaretas, machados, facões, foices, serras e outras ferramentas forjadas na Usina de Timóteo, que serviam à agricultura brasileira nas décadas de 40 e 50, foram substituídas por modernos implementos agrícolas, atualmente produzidos com aços carbono especiais (médio, alto e micro ligados). Mas o que antes era chamado de agricultura brasileira, hoje se transformou na mais promissora fronteira agrícola do mundo. Essa mesma linha de produtos, os aços carbono especiais, se faz presente também no setor automotivo, através da indústria de autopeças.

A expressão “aços especiais” só se tornou realidade em 1955, ano em que foram fabricadas as primeiras chapas elétricas para motores, geradores e transformadores. Davase, então, início à produção do aço elétrico no Brasil, comercialmente conhecido por esse nome, devido a sua aplicação básica na constituição do núcleo magnético das máquinas elétricas. Quanto aos famosos aços inoxidáveis, estes só viriam a ser produzidos a partir de 1965.

De Itaipu ao Rio Madeira

10

Palheta de turbina produzida para hidrelétrica de Itaipu, em 1978

Os aços elétricos atuam em dois segmentos de mercados com escalas econômicas bem distintas: equipamentos de pequeno porte destinados aos segmentos de consumo, como aparelhos eletrodomésticos, linha branca, medidores de energia, reatores de lâmpadas e outros; e grandes máquinas elétricas ligadas ao setor de infraestrutura, como geração, transmissão e distribuição de energia.

Essa fascinante viagem teve início na década de 1970, com a construção da maior hidrelétrica do mundo, Itaipu, na fronteira do Brasil com o Paraguai. Agora, o aço elétrico da ArcelorMittal Inox Brasil chega às usinas de Jirau e Santo Antônio, no Rio Madeira, estado de Rondônia, através dos hidrogeradores, transformadores de potência e de distribuição, e motores industriais de grande porte. Com previsão de término para 2012, as obras estão entre as mais importantes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) do Governo Federal.

O mundo se depara hoje com mais um salto tecnológico: os carros híbridos são a grande promessa da indústria automotiva do futuro. Utilizando motores elétricos e a combustão, esses veículos se valem da flexibilidade energética para gerar ganhos em eficiência e ambientais. Motores de carros híbridos devem ser leves e especiais, e é claro que os aços elétricos de última geração se fazem necessários. Como muitos outros, esse novo avanço da indústria automotiva teve início no Japão. É lá que a ArcelorMittal Inox Brasil busca homologar seus novos aços elétricos, antecipando o futuro da indústria automotiva brasileira e pronta para abastecer outros mercados no presente.

Por dentro de tudo

A grande diversidade de aplicação dos aços inoxidáveis os leva a vários setores da economia, como o de bens de capital, indústria automotiva, linha branca, utilidades domésticas, arquitetura e construção civíl. Nesse caso, a viagem pelo desenvolvimento do país tem muitos caminhos.

Nos anos 70, o Programa Nacional do Álcool (Pró-Álcool), voltado para a substituição dos combustíveis veiculares derivados de petróleo, levou a ArcelorMittal Inox Brasil a desenvolver uma linha de inox para aplicação em destilarias e, em seguida, o material substituiu os aços carbono comuns também nas usinas de açúcar. Hoje, não apenas o país é líder no segmento sucroalcooleiro, como a ArcelorMittal Inox Brasil é a grande fornecedora de suporte técnlógico do setor.

Durante as décadas de 80 e 90, a necessidade de reduzir as emissões de poluentes dos automóveis brasileiros demandou o uso do inox em partes de escapamentos e catalizadores, chegando aos dias de hoje com o sistema de exaustão 100% em aço inoxidável. Obviamente, o uso intenso do inox estará presente também nos sistema de exaustão da já comentada nova geração de automóveis, os carros híbridos, assegurando níveis ainda mais baixos de emissão de gases.

Pré-sal, Copa do Mundo e Olimpíadas

Tão grande quanto as perspectivas de progresso que o Pré-sal abre para o Brasil, são os desafios tecnológicos a serem vencidos. Em razão da enorme profundidade dos poços, será necessário o uso de materiais mais resistentes à corrosão, pois o óleo desses campos possui maior acidez, e mecanicamente capazes de suportar a pressão da coluna d’água. Há, portanto, uma clara tendência de migração do inox tradicional para o chamado aço duplex, especialmente na composição das finas paredes dos tubos flexíveis que conduzem o petróleo do poço até a plataforma.

No que depender da ArcelorMittal Inox Brasil, a cadeia produtiva do segmento do petróleo e gás pode contar com uma parceira ágil, pois a Empresa encontra-se em fase de homologação dos produtos junto aos clientes e à Petrobras.

“Nossa história tem se confundido, em muitos momentos e fatos, com o desenvolvimento do Brasil. Isso dá a todos nós, empregados das empresas ArcelorMittal Inox Brasil, um grande orgulho, pois participamos efetivamente da construção de uma nação”, afirma o presidente Paulo Magalhães. E complementa: “Graças à gestão focada em resultados e aos constantes investimentos em pesquisa e desenvolvimento, somos referência internacional na indústria dos aços especiais”.

E neste momento em que o Brasil vive uma confluência de fatos marcantes e positivos – a saída da crise, a consolidação do G20, a nova fronteira do Pré-sal, a Copa do Mundo 2014 e os Jogos Olímpicos 2016 –, abre-se um mundo de oportunidades e é possível apostar que o melhor da história da ArcelorMittal Inox Brasil está por acontecer.

11

Carro híbrido: ArcelorMittal Inox Brasil presente na nova fronteira da indústria automobilística


12

Compartilhar: