Revista Espaço

Ensino valorizado

Projetos de melhoria da educação em Timóteo surpreendem pela qualidade, originalidade e envolvimento das pessoas

19

Segundo Maria do Carmo, o prêmio motiva educadores a desenvolver conhecimentos e habilidades

No dia 10 de novembro, será divulgado o resultado da 11ª edição do Prêmio Fundação ArcelorMittal Acesita de Valorização da Educação de Qualidade. Segundo Marilene de Lucca Siqueira, gerente da área de Educação e Cultura da Fundação, a disputa está acirrada. “Os projetos estão cada vez melhores. Percebemos a evolução dos profissionais na aplicação da metodologia de solução de problemas em trabalhos voltados para os mais variados temas”, comenta.

O prêmio busca estimular, apoiar e reconhecer as melhores práticas de gestão planejadas e implantadas pelas escolas públicas, conforme o método PDCA. Do inglês, a sigla PDCA significa Planejar, Executar, Checar e Agir (Plan, Do, Check e Act). Trata-se de uma ferramenta de qualidade que estabelece quatro etapas para o ciclo de gestão de projetos: planejamento e definição de metas e procedimentos; execução; verificação dos processos e resultados; correção de eventuais desvios, continuidade e aprimoramento das ações. O prêmio também valoriza os profissionais com expressiva atuação na gestão do ensino público na cidade.

“Ao longo do processo, realizamos uma oficina de padronização, com o objetivo de garantir a perenidade das ações e a sistematização dos procedimentos para possibilitar o compartilhamento de boas práticas entre as escolas”, acrescenta Marilene.

Para a secretária de Educação de Timóteo, Maria do Carmo Dias Lima, o prêmio motiva os profissionais da educação a desenvolver conhecimentos e habilidades. “Trata-se de uma iniciativa que vem ao encontro dos objetivos da secretaria, na busca por um novo olhar sobre a educação e o cenário social do nosso município”, destaca.


Soluções sob medida

Treze escolas de Timóteo concorrem nas categorias 1 (Educação Infantil e 1º ao 5º ano) e 2 (6° ao 9° ano, Ensino Médio, EJA e Apae). Conheça, abaixo, as instituições concorrentes, projetos e metas para 2009:

E.E. Getúlio Vargas: Colcha de retalhos – reduzir em 50% o número de ocorrências

E. M. Ana Moura: Ajustamento de aprendizagem – aumentar para 70% o número de alunos com resultado acima da média

E. M. Joaquim Ferreira de Souza: Literatura em movimento – reduzir em 40% o número de alunos com defasagem em leitura

E.M. José Moreira Bowen: Conviver – reduzir em 50% o número de ocorrências por indisciplina

E.M. Virgínia de Souza Reis: Do texto ao contexto – elevar de 35,4% para 75% o êxito de alunos do 5º ano em relação à interpretação de textos

E. M. Cecília Meireles: Espalhando o verde, embelezando a escola e ampliando o espaço alfabetizador – transformar o ambiente ocioso em um espaço pedagógico

E. M Monteiro Lobato: Quem canta as dificuldades espanta – aumentar a capacidade de concentração dos alunos

E.E. João Cotta F. Barcelos: Descobrindo os benefícios da pontualidade – reduzir em 85% o número de alunos com comprometimento de horários na escola

E. E. Juscelino K de Oliveira: JK uma família pela educação – aumentar em, no mínimo, 40% o número de alunos que fazem atividades escolares

E. M. Limoeiro: Xadrez na escola – aumentar em 25% o desempenho dos alunos na resolução de problemas matemáticos

Escola Especializada CreSer Apae: Ação consciente, futuro da gente – otimização do uso de recursos naturais e materiais da instituição com redução de perdas/consumo em 10%

Educação de Jovens e Adultos: aumentar em 15% o número de alunos com média superior

CEFET: Vitrine – aumentar a taxa de adesão ao vestibular em 15%.

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Menu

Clique no botão de edição para alterar esse texto. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.