Revista Espaço

A jornada continua

ArcelorMittal Timóteo completa um ano de zero acidente CPT

13

Em evento em Timóteo, o presidente da ArcelorMittal Inox Brasil, Paulo Magalhães agradeceu e parabenizou os empregados pela conquista

A ArcelorMittal Timóteo bateu recorde de segurança e permaneceu 371 dias sem registrar um único acidente com perda de tempo (CPT) na planta industrial. Entre 27 de agosto de 2008 e 1º de setembro de 2009, foram 9,5 milhões de homens/hora de zero acidente na unidade, considerando empregados próprios e prestadores de serviços. A melhor marca até então, alcançada entre outubro de 2005 e julho de 2006, foi de 274 dias sem qualquer ocorrência dessa natureza. Ao todo, cerca de 3,8 mil pessoas trabalham na unidade, entre empregados próprios e prestadores de serviços.

“Devemos ser difusores da saúde e segurança como um valor”, afirmou o presidente da ArcelorMittal Inox Brasil, Paulo Magalhães, no dia 28 de agosto, durante evento que celebrou a marca de um ano sem acidentes CPT. O membro do Conselho de Administração do Grupo ArcelorMittal, Gonzalo Urquijo, enviou parabéns às equipes e agradeceu o compromisso com a segurança. “Transmita minhas congratulações aos empregados e continuem a promover um ambiente de trabalho seguro nas plantas industriais”, escreveu ao presidente Paulo Magalhães.

A mensagem encaminhada pelo CEO (Chief Executive Officer) do Segmento Inox, Jean-Yves Gilet, foi também compartilhada: “Claro que esse resultado não é um acaso. Conheço a determinação dessa Empresa na busca da segurança. Com tal realização, todos os esforços empenhados ao longo dos últimos anos foram retribuídos”, escreveu.

“Essa marca é fruto do comprometimento de cada um de nós e comprova que estamos no caminho certo. Quando se trata de saúde e segurança, nosso alvo é sempre o zero acidente”, destaca o diretor de Produção da ArcelorMittal Inox Brasil, Clênio Guimarães.

“Continuaremos perseguindo os melhores resultados para permanecermos como benchmark internacional em saúde e segurança”, garante o coordenador de Saúde e Segurança do Setor Inox e gerente geral de Recursos Humanos da Empresa, Ilder Camargo.

Investimentos

Eduardo Barbosa, gerente de Saúde e Segurança, acrescenta que, nos últimos anos, mais de R$ 50 milhões foram investidos em Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs), como os desempoeiradores, salas de descanso, exaustores e isolamentos acústicos, entre outros. Além disso, cerca de R$ 500 mil são destinados, anualmente, a Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Há 19 meses não é registrada qualquer doença ocupacional entre os empregados da ArcelorMittal Timóteo. Eduardo Barbosa credita o resultado à combinação de ações que se iniciam nos investimentos realizados, até o programa Indústria Saudável, ginástica laboral, serviço de orientação nutricional, refeições balanceadas, convênio com academia, check-up de aniversário, entre outras. “Conjugadas, essas iniciativas propiciam mais saúde para o empregado, que corre menos riscos de sofrer um acidente de trabalho”, constata.

Reconhecimento

Por meio da nova metodologia de classificação das empresas no grau de risco para Seguro Acidente do Trabalho (SAT), o Ministério da Previdência Social reconheceu os esforços da ArcelorMittal Inox Brasil. A Empresa foi reclassificada e teve seu grau de risco reduzido do nível três para dois.

A metodologia, que entrou em vigor no mês de outubro, analisa as ocorrências dos últimos três anos e reconhece as empresa que, comparativamente, tiveram melhor desempenho de saúde e segurança.


A chave do sucesso

Entre os principais fatores que levaram à conquista, destacam-se:

  • Acompanhamento do desempenho de saúde e segurança pelas lideranças, por meio de auditorias diárias nas áreas, com 1h30 de duração;
  • Treinamentos constantes e engajamento de empregados e prestadores de serviços na prática das ferramentas comportamentais de Gestão da Saúde do Trabalhador, como a Tolerância Zero, Vigilância Compartilhada e a Jornada para o Zero (JTZ);
  • Fortalecimento do papel da supervisão na condução dos assuntos de saúde e segurança, estimulado pela busca da evolução das equipes nas etapas da Vigilância Compartilhada;
  • Alinhamento da GST à norma internacional OHSAS 18001;
  • Atuação diferenciada da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa);
  • Bom desempenho nos indicadores de saúde, traduzido pela queda no nível de absenteísmo/ taxa de gravidade;
  • Intercâmbio de boas práticas com outras unidades da ArcelorMittal.

De prontidão

14

O brigadista Claudomiro colocou em prática seus conhecimentos em primeiros socorros

A ArcelorMittal Inox Brasil conta com 930 brigadistas treinados para atuar no combate a incêndios e prestar primeiros socorros em situações de emergência. Além de garantir a segurança das operações industriais e a integridade física dos empregados, os benefícios dessa iniciativa se estendem aos familiares, amigos e outras pessoas em situação de risco fora da área da Usina.

Há cerca de três meses, o operador de Redução Claudomiro Rodrigues de Oliveira utilizou seu conhecimento para salvar uma vida em Timóteo. “Estava perto de minha casa, no bairro Bromélias, quando vi um acidente em que um motociclista havia perdido parte da perna. Com os recursos que tinha à mão, consegui estancar o sangue. Entrei em contato com o Corpo de Bombeiros da Empresa e, enquanto a ambulância não chegava, fiquei conversando para mantê-lo acordado e consciente. Somente consegui esse êxito por ser preparado e treinado”, ressalta.

Em 2009, mais de 300 brigadistas da Empresa passaram pelo curso anual de reciclagem. A meta é chegar a 700 até o final do ano.

Compartilhar: