Revista Espaço

Novinha em folha

Projeto Nova Fazendinha mobiliza moradores e fortalece associação comunitária, que ganha sede própria em Itamarandiba, no Vale do Jequitinhonha

19

Moradores de Fazendinha reunidos na nova sede da Acodef

Desde a escolha do bairro para implantação do Programa Iniciativa Comum Brasil, em agosto de 2005, até a inauguração da sede da Associação Comunitária de Defesa das Famílias do Bairro Fazendinha (Acodef), em agosto de 2009, as principais carências locais foram apontadas pelos próprios moradores, que também definiram planos de ação, com o suporte da Fundação ArcelorMittal Acesita. Localizado em Itamarandiba, no Vale do Jequitinhonha, o bairro Fazendinha concentra 4,5 mil habitantes, dentre eles empregados e prestadores de serviços da ArcelorMittal BioEnergia, antiga ArcelorMittal Jequitinhonha.

O programa Iniciativa Comum Brasil congrega dez empresas de todo o país, coordenadas pela Rede Interamericana de Fundações e Ações Empresariais para o Desenvolvimento de Base (RedEAméricA). Com metodologia comum, sete fundações e institutos empresariais buscam promover o desenvolvimento de diferentes comunidades em quatro eixos: construção de capacidades coletivas, acumulação de capital social, ampliação da democracia e diminuição da pobreza. Para implantação do projeto Nova Fazendinha, a RedEAméricA investiu cerca de R$ 65 mil, com contrapartida de R$ 95 mil da ArcelorMittal Inox Brasil e R$ 20 mil da prefeitura de Itamarandiba. Somados, os recursos aplicados já chegam a R$ 160 mil.

Trabalho de formiguinha

O primeiro passo foi um diagnóstico, que levantou pontos fortes e desafios do bairro. “Para isso, reunimos um grupo de aproximadamente 30 representantes, que apontaram três problemas prioritários: desemprego, ociosidade dos jovens e uso de drogas. Decidimos focar nos dois primeiros, pois, indiretamente, as ações amenizariam a questão das drogas. E optamos por fortalecer a associação que já existia no bairro, mas não estava atuante”, lembra Salete Silva Figueredo, coordenadora de projetos da Fundação ArcelorMittal Acesita.

A Acodef foi então reestruturada, com eleição de nova diretoria, regulamentação jurídica e organização administrativa e operacional da entidade, em uma sede provisória. “Antes, a Acodef tinha dificuldade de mobilizar a comunidade. Eu mesmo nem sabia que existia uma associação no bairro. Com a orientação da Fundação, capacitamos nossas lideranças e começamos a nos organizar para ‘correr atrás’ de recursos e outros benefícios sociais oferecidos pelo governo. Hoje sabemos o poder que uma associação tem”, conta Cláudio Afonso Fernandes, presidente da Acodef.

De lá para cá, muita coisa mudou. Trinta e três líderes comunitários foram capacitados em relações interpessoais, empreendedorismo, elaboração de projetos, plano de trabalho, prestação de contas e associativismo. Mais de 700 jovens já participaram de cursos de informática e 65 fazem aulas de capoeira na Acodef. Para geração de renda, são oferecidas oficinas de corte e costura e artesanato e, após a inauguração, cursos de carpintaria, pedreiro, eletricista, pintor, bombeiro hidráulico e outros.

Em um terreno doado pela Prefeitura de Itamarandiba, a Acodef comemora agora sua sede definitiva, onde serão promovidas atividades de lazer, educação, esporte e cultura, contribuindo para melhoria da qualidade de vida da comunidade local.

Compartilhar: