Revista Espaço

Bolso saudável, cabeça tranquila

Empregados beneficiados pelo Programa de Gestão Financeira obtêm equilíbrio nas contas e no convívio social

16

Falta de concentração e de criatividade, queda na qualidade do trabalho, baixa produtividade, desânimo, isolamento, descontrole emocional, problemas de saúde e estresse podem ser causados pelo desequilíbrio na vida financeira. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 42 milhões de brasileiros (mais de 22% da população) sofrem com o endividamento crônico. Com o objetivo de orientar empregados sobre orçamento familiar, fornecendo instrumentos e conhecimentos básicos para renegociação de dívidas, a ArcelorMittal Inox Brasil criou o Programa de Gestão Financeira (PGF), que está em sua segunda turma.

“A proposta é oferecer condições para que o próprio empregado entenda o problema e saiba como agir para recuperar e manter sua saúde financeira. Para isso, é fundamental o apoio da família”, explica José Anísio Dias Cabral, gerente de Relações Trabalhistas. Promover a cultura de planejamento de longo prazo e fortalecer hábitos de poupança e de investimento são também benefícios esperados. “Trata-se de uma iniciativa de valorização do empregado e que demonstra a preocupação da Empresa com sua saúde e bem-estar”, considera Anísio.

O PGF é formado por três módulos: preventivo, curativo e de investimento para o futuro. O primeiro consiste em palestra aberta a todos os empregados. No segundo, é feita uma avaliação do caso, com a participação da família, para enquadrar as receitas às despesas fixas. A dívida é então renegociada e transferida para uma única instituição financeira participante do programa. Com as finanças em dia, o último módulo envolve previdência privada e outros tipos de investimento. “Para se enquadrar no programa, o empregado deve ser capaz de pagar sua dívida em até cinco anos, com parcela consignada de até 30% do salário líquido”, explica Many Maria Moreira, analista de Recursos Humanos. Ao longo do processo, o empregado recebe orientações de assistentes sociais da Fundação ArcelorMittal Acesita e de consultor jurídico e é acompanhado por seu gestor imediato.


Vida nova

“Peguei um empréstimo em um banco com taxas e juros bem altos. Perdi o controle rapidamente e, em alguns meses, cheguei a entregar todo o meu salário para pagar a dívida. Em uma renegociação da dívida de R$ 21.141,54 (a maior parte resultado do acúmulo de juros), me ofereceram um parcelamento de 72 meses de R$ 1.097,16. Dessa forma, o montante final pago ao banco seria de R$ 78.995,52! Depois de assistir à palestra do consultor financeiro e entender as regras do PGF, imediatamente providenciei os documentos. Minha esposa e eu fomos bem recebidos e orientados pela assistente social. Uma instituição financeira que faz parte do programa quitou minha dívida no banco e me proporcionou vida nova. Aprendi a lição. Hoje tenho todas as contas em dia e, apenas dois meses depois de aderir ao PGF, fiz até uma aplicação em poupança. Não utilizo mais cartão de crédito nem cheque, e só faço compras à vista. Tive a compreensão e ajuda da minha família. Muito obrigado pela criação desse programa.”

Depoimento de empregado da ArcelorMittal Timóteo

Compartilhar: