Revista Espaço

Laminação no leme

Conquista do bronze no prêmio WCM atesta bons resultados da Laminação a Frio

“Recebemos, com muito orgulho, o prêmio WCM em Paris, na França, diretamente do sr. Gonzalo Urquijo, membro da Direção Geral do Grupo ArcelorMittal, acompanhado pelo CEO do Setor Inox, Jean-Yves Gilet. Agora, tenho a honra de passá-lo às mãos da equipe responsável por essa importante conquista”, afirmou o presidente da ArcelorMittal Inox Brasil, Paulo Magalhães, ao entregar o prêmio a Paulo Novaes, gerente da Laminação a Frio de Aços Inoxidáveis, que representou toda a área.

Essa cerimônia de entrega do World Class Manufacturing (WCM) aconteceu em Timóteo, dia 26 de maio, quando o Auditório Percival Farquhar serviu de palco também para a segunda etapa do Challenge 2009 (leia na página 6). Pela conquista, as equipes da Laminação a Frio de Aços Inoxidáveis e da Melhoria Contínua e Qualidade receberam ainda o troféu Os Navegadores do mês de março, reconhecimento interno da Empresa voltado para iniciativas de destaque.

“A participação da equipe da Laminação de Inoxidáveis na obtenção dessa conquista foi fundamental. Para mim, é um grande orgulho representá-la neste momento! O prêmio reconhece os bons resultados alcançados através da aplicação da metodologia do WCM, que tem nos permitido construir, a cada dia, a nossa competitividade. Não posso deixar também de compartilhar esse prêmio com a equipe de Melhoria Contínua e Qualidade, que tem sido mais do que uma parceira no constante desafio de aprimorar nosso desempenho”, diz Paulo Novaes.

10

Paulo Magalhães (à dir.) entrega prêmio WCM a Paulo Novaes, que representou a equipe da Laminação a Frio

A certificação na categoria bronze do WCM atesta os bons resultados da gerência e o sucesso na aplicação dos pilares da Manutenção Produtiva Total (TPM), desenvolvido na ArcelorMittal Inox Brasil desde o ano 2000. Primeira área reconhecida pelo prêmio na Empresa, a Laminação a Frio servirá de piloto para integrar o modelo do WCM aos pilares do TPM em outros processos da Usina e das empresas coligadas.

Traduzido como ‘produtor de classe mundial’, o WCM foi desenvolvido pelas empresas ArcelorMittal, Fiat e Saint-Gobain, em conjunto com a Universidade de Kyoto. “Não se trata de ruptura com a metodologia do TPM. O WCM representa uma continuidade do TPM, um modelo excelente, mas que precisava aprofundar seu foco nos resultados. Surgem, assim, novos desafios com o WCM”, esclarece Robert Dapère, gerente geral de Excelência Operacional do Grupo ArcelorMittal.

Evolução natural

O WCM avalia indicadores relacionados aos mesmos pilares do TPM: Segurança, Custos, Melhoria Específica, Manutenção Autônoma, Manutenção Planejada, Controle da Qualidade, Satisfação do Cliente, Desenvolvimento de Pessoal, Controle Inicial e Meio Ambiente. “Trata-se da continuação lógica do TPM, com a diferença de que o WCM privilegia os resultados”, reforça Robert.

Estudos do Grupo ArcelorMittal demonstram que, além da produtividade, a melhoria dos indicadores de segurança é outro benefício, uma vez que a aplicação do WCM é capaz de reduzir em até 85% as ocorrências. “Isso acontece porque as pessoas começam a entender melhor o funcionamento dos processos e equipamentos, tornando-se mais capacitadas e seguras para executar o trabalho”, explica. Além disso, o WCM reduz a ocorrência de defeitos e a necessidade de manutenções imprevistas, situações nas quais os acidentes tendem a ocorrer com mais frequência.

Compartilhar: