Revista Espaço

Jovens de visão

Trabalho de miniempresas começa pelo plano de negócios

O estímulo ao empreendedorismo começa na escola. Dia 8 de abril, a aula inaugural do Programa Miniempresa contou com a presença de 35 voluntários e dos 180 estudantes do 2º ano do Ensino Médio de escolas públicas e particulares de Timóteo e Coronel Fabriciano selecionados este ano. Promovido pela Fundação em parceria com a Associação Junior Achievement de Minas Gerais, o Projeto Aprendendo a Empreender também envolve o Programa Empresa em Ação, que oferece noções básicas sobre o assunto aos alunos do 9º ano do Ensino Fundamental.

Seis miniempresas foram formadas pelos 30 alunos selecionados em cada escola, que contam com o suporte dos voluntários em todas as etapas do projeto. Desde o plano de negócios, escolha dos produtos, pesquisa de mercado, venda de ações, elaboração do organograma, compra de equipamentos e matérias-primas, comercialização e fechamento do balancete, até a entrega do relatório final, os estudantes aprendem, na prática, como funciona uma empresa de verdade.

No dia 4 de julho, a produção dos alunos será comercializada em uma feira. Os impostos recolhidos serão doados a uma instituição beneficente, em mais uma lição prática de responsabilidade social empresarial. “Este ano, decidimos não aceitar miniempresas de alimentos para dificultar um pouco a venda dos produtos. Comida tem saída fácil. Como nosso objetivo é a aprendizagem, encarar desafios é uma etapa importante na formação do empreendedor”, conta a coordenadora do projeto, Márcia Lessa.

Compartilhar: