Revista Espaço

Desafio de todos

No dia 4 de abril, foi realizado o primeiro seminário do projeto pedagógico coordenado pela Fundação ArcelorMittal Acesita que visa a melhorar o Índice de Desenvolvimento de Educação Básica (Ideb) da Escola Estadual João Cotta de Figueiredo Barcelos, localizada no bairro Cachoeira do Vale, em Timóteo. Com a ajuda de consultoria especializada, todos os profissionais da escola fizeram uma reflexão sobre os problemas da instituição e elaboraram planos de ação para solucioná-los.

“Começamos o trabalho pela sensibilização. Para conseguirmos mudar os resultados e melhorar a imagem da instituição, é preciso que toda a comunidade escolar abrace esse projeto. A participação de cada um é fundamental para a melhoria do processo de gestão e o desenvolvimento da escola”, explica Marilene de Lucca Siqueira, gerente da área de Educação e Cultura da Fundação.

A utilização da metodologia ‘gestão à vista’ é exemplo de ação que já está em prática. Os painéis trazem informações de interesse de alunos e pais, como resultados da avaliação institucional, plano da direção, prestação de contas, cronograma do projeto, entre outras. Para manter a comunidade a par das novidades, serão criados um boletim informativo e uma página na Internet. Estão previstos ainda diversos cursos de capacitação do corpo docente e da direção da escola, implantação de projetos de protagonismo juvenil, melhorias das condições de higiene e das instalações físicas, entre outras ações. “Ao final desse processo, voltaremos esforços para a manutenção e perenização dos resultados alcançados”, adianta Marilene.


Demanda rural

Fundação e Senar se unem para promover ensino de qualidade para o homem do campo

25

Luiz Ronilson, do Senar Minas

Entre os diversos convênios da Fundação ArcelorMittal Acesita, merece destaque o trabalho em conjunto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). Só em 2008, foram realizados 21 cursos com a participação de 262 pessoas do Vale do Aço e 127 cursos com 1.655 participantes do Vale do Jequitinhonha. Este ano já foram oferecidos cursos de florestamento, operação e manutenção de roçadeira, olericultura básica, operação de motosserra, saúde na 3ª idade, artesanato, jardinagem, entre outros. A identificação de demandas locais e organização da infraestrutura ficam a cargo da Fundação, enquanto o Senar disponibiliza instrutores e material didático.

“Percebemos a seriedade, a transparência e o comprometimento da Fundação com a qualidade da formação do homem do campo.

Atuamos juntos com o objetivo de levar ao trabalhador rural oportunidades para melhorar sua qualidade de vida. Estendemos essa parceria de sucesso para o Vale do Jequitinhonha, onde abrimos recentemente uma regional para atender às demandas locais específicas”, informa Luiz Ronilson Araújo Paiva, coordenador de Formação Profissional Rural do Senar Minas.

26

Curso de jardinagem deixou o Clube Alfa mais florido

Luiz Antônio Ferreira, assistente administrativo da Fundação, afirma que o método de ensino do Senar permite que os participantes executem as tarefas e aprendam fazendo. “O curso de jardinagem, por exemplo, foi realizado no Clube Alfa, que teve dois de seus empregados treinados e ganhou belos jardins como resultado das aulas práticas”, conclui.

Compartilhar: