Revista Espaço

Cuidado que resguarda o amanhã

ArcelorMittal Inox Brasil contabiliza ganhos obtidos a partir de projetos voltados para a melhoria da gestão ambiental

15

Sebastião (ao centro) e a equipe de Meio Ambiente, em frente à Estação de Tratamento de Efluentes

Com a chegada do Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, é tempo de avaliar a atuação da ArcelorMittal Inox Brasil sob a ótica da responsabilidade socioambiental. Graças ao esforço contínuo da Empresa para crescer de forma sustentável, o balanço é mais uma vez positivo. No ano de 2008, a Companhia investiu em projetos de meio ambiente, e o monitoramento dos indicadores aponta avanços em diversas áreas.

Entre os resultados, destacam-se a redução da emissão de particulados e a melhoria na gestão dos recursos hídricos e dos resíduos, que levou a recordes sucessivos de menor disposição de escória no pátio. Atualmente, 78% dos resíduos provenientes do processo siderúrgico são reciclados interna ou externamente. Em 2008, 2,8 mil toneladas de papel e papelão, 463 toneladas de plástico, 1,4 mil toneladas de madeira e 79 toneladas de óleo foram encaminhadas para reciclagem pela coleta seletiva.

De acordo com o gerente de Controle Ambiental, Sebastião Miranda, as conquistas são fruto da intensificação do trabalho de reutilização dos resíduos em outras atividades e setores. A escória da Aciaria, por exemplo, é aplicada na produção de fertilizantes, enquanto a do Alto-Forno é revendida para a indústria de cimento. O ácido sulfúrico saturado proveniente do processo de decapagem dos aços inoxidáveis tornou-se matéria-prima para fabricação de agrosilício, insumo agrícola que enriquece o solo e aumenta a resistência das plantas, diminuindo o uso de pesticidas.

Em maio, todo o pó do coletor e as lamas geradas no processo de lavagem dos gases dos Altos-Fornos foram destinados a empresas de cerâmicas. “Para viabilizar essas melhorias, a equipe de Meio Ambiente trabalha em conjunto com as áreas geradoras de resíduos e também com a de Suprimentos, que colabora na comercialização desse material. Além dos ganhos ambientais, geramos receitas alternativas para a Empresa”, destaca Sebastião.

Indicadores na mira

Em 2008, a ArcelorMittal Timóteo deu início ao processo de homologação dos laboratórios de monitoramento ambiental na norma NBR ISO 17025. Com isso, a Empresa espera garantir a confiabilidade dos ensaios realizados nos laboratórios, fator fundamental para o monitoramento dos indicadores.

Todas as fontes de emissão de particulados e a qualidade de água dos efluentes industriais são sistematicamente monitoradas pela equipe de Controle Ambiental. O índice de recirculação de água pela Usina é de aproximadamente 95%, um dos melhores da indústria siderúrgica brasileira. Para aprimorar ainda mais esse desempenho, em 2008, foi instalado um separador de água e óleo no Lingotamento Contínuo.

Outro projeto que trouxe resultados expressivos foi o de eliminação da emissão de particulados durante a limpeza do carro torpedo – sistema ferroviário utilizado para o transporte gusa na Usina – e também no manuseio de escória na Aciaria. Com relação ao consumo de energia elétrica, em 2008, houve uma redução de 2% por meio de projetos de eficiência energética.

Compartilhar: