Revista Espaço

Energia para produção rural

21

Antônio Valdir instalou o biodigestor ao lado da casa de ordenha

A experiência de sucesso da Fundação ArcelorMittal Acesita com a introdução de tecnologia para produção de energia limpa no Vale do Aço, onde já funcionam três biodigestores, está sendo levada para a região do Vale do Jequitinhonha, que receberá outros dois. Antônio Valdir de Araújo Silva, proprietário de uma fazenda de produção orgânica em Itamarandiba, está animado com a novidade. “Pretendo alimentar meu fogão com o gás que será gerado. Além disso, o biodigestor facilitará a produção de adubo, pois o esterco já sai na forma ideal para ser levado ao minhocário, onde é transformado em húmus”, planeja.

O biodigestor está sendo instalado ao lado da casa de ordenha de sua fazenda, que produz morango, milho, arroz, feijão, frango e laticínios, tudo sem a utilização de agrotóxicos. “Fui escolhido pela Fundação ArcelorMittal Acesita porque já tinha uma linha de produção mais natural, que tem tudo a ver com a preservação ambiental. Acho que essa tecnologia vai agregar valor e ajudar a divulgar meu trabalho”, acredita. A fazenda de Antônio servirá de modelo para demonstrar a experiência aos produtores rurais da região de Itamarandiba interessados em conhecer a tecnologia.

Outro biodigestor foi instalado na Escola Família Agrícola, da comunidade José Silva, em Turmalina, e será referência para produtores rurais das cidades vizinhas de Capelinha, Minas Novas e Veredinha.


Solidez nas encostas

Moradores vizinhos às áreas recuperadas pelo Programa de Gestão de Áreas Verdes já não temem período de chuvas

22

Noelza está de olho na área revegetada atrás de sua casa

O Programa de Gestão de Áreas Verdes da Fundação ArcelorMittal Acesita prioriza a revegetação de encostas para evitar deslizamentos causados pela água da chuva. A colaboração dos moradores vizinhos às áreas em recuperação é fundamental para o monitoramento das mudas plantadas. Antônio Honório, que vive no bairro Bromélias, participou ativamente da implantação do programa, inclusive do plantio das mudas, e hoje acompanha sua fase final. “Quando chovia, o volume de terra que descia das encostas era grande, algumas ruas ficavam sujas e, às vezes, a lama chegava a invadir casas. Agora, pode chover à vontade. Além disso, a região ficou mais verde e bonita”, comemora.

Noelza Cordeiro Louzada Cabral, moradora do bairro Timotinho, acompanha o crescimento da vegetação plantada há mais de um ano. Ela conta que o local sofria com a erosão e o acúmulo de sedimentos na época de chuva. “Além de sujar o bairro, o acesso à região ficava difícil. Estamos felizes não apenas com a nova vegetação, mas também por saber que contribuímos para um futuro melhor na nossa cidade”, declara Noelza.

Atualmente, o Programa Gestão de Áreas Verdes concentra esforços na revegetação da área situada atrás da rodoviária, sentido sinterização. Entre dezembro de 2008 e o início deste ano, árvores de eucalipto foram substituídas por 25 mil mudas de mata nativa, utilizando técnicas de manejo especiais para combater espécies invasoras e garantir o crescimento da vegetação.

Compartilhar: