Revista Espaço

Retrato da juventude

Com recursos do Fundo da Infância e da Adolescência destinados pela ArcelorMittal Inox Brasil, as cidades de Timóteo e Coronel Fabriciano puderam conhecer melhor a situação de seus jovens. Apresentados à comunidade em fevereiro, diagnósticos foram desenvolvidos por consultorias especializadas ao longo de 2008, a partir de pesquisas com a população e de levantamento de dados. O trabalho foi coordenado pelos Conselhos da Criança e do Adolescente dos respectivos municípios.

Para Júlia Restori, secretária de Assistência Social de Coronel Fabriciano, o diagnóstico é instrumento fundamental para orientar a elaboração das políticas públicas sociais do município. “Trata-se de uma fotografia que nos fornecerá informações sobre aspectos como saúde, violência, educação, lazer e outros. Ao apontar as vulnerabilidades e os riscos, o diagnóstico nos permite entender as prioridades para atuarmos de forma mais eficaz”, explica.

Wilson Pedro, ex-presidente do Conselho da Criança e do Adolescente de Timóteo e atual conselheiro, afirma que um plano de ação será implementado a partir da identificação das demandas mais urgentes. “Nosso objetivo é compartilhar os resultados com a comunidade e possibilitar sua efetiva participação nesse planejamento”, revela Wilson.


Desenhando o futuro com inox

23

Laboratório de fotocorrosão conta com equipamentos de última geração

O Instituto do Inox acaba de criar o primeiro centro de treinamento em fotocorrosão do Brasil. Inaugurado em janeiro, o laboratório dispõe de recursos para estudar e ensinar como funciona o processo de ataque químico ao aço inox para a impressão de imagens e textos em sua superfície. “É um mercado que cresce a cada dia e a mão-de-obra qualificada para esse trabalho é escassa”, afirma Frederick Teixeira Nunes, coordenador do Instituto do Inox.

Além da construção das instalações, a Fundação ArcelorMittal Acesita investiu na aquisição de equipamentos como mesa reveladora, laminadora, tanque de corrosão, forno, bandejas de decapagem e outros recursos necessários para a realização do processo. “Mais uma vez, o Instituto busca fomentar a geração de trabalho e renda, ao disponibilizar novos cursos para a comunidade e empresas do setor”, ressalta Frederick. Dois instrutores estão sendo capacitados para que a fotocorrosão integre as alternativas de treinamento em trabalhabilidade do inox até abril.

Confira os últimos resultados alcançados pelo Instituto do Inox:

  • 206 pessoas capacitadas em 2008: 112 em capacitação profissional, 52 em workshop e 42 em cursos de aperfeiçoamento.
  • 74% dos alunos treinados entre 2006 e 2008 foram empregados.
  • 210 consultorias em 2008, com 99% de atendimentos de apoio técnico.
Compartilhar: