Revista Espaço

Satisfação em fazer parte

A melhor empresa de siderurgia no país, de acordo com o Guia Exame, apresenta também um excelente resultado de clima organizacional, segundo a Great Place to Work

Com 90% de adesão dos empregados e 85% de favorabilidade, a Aperam tornou-se referência em clima organizacional no conjunto das 80 melhores empresas pesquisadas pela Great Place to Work (GPTW), em 2016. Divulgados em dezembro, em edição especial do Conexão, os resultados da Pesquisa de Clima mostraram evolução em todas as cinco dimensões analisadas: Credibilidade, Imparcialidade, Respeito, Orgulho e Camaradagem.

A analista de RH, Many Moreira, explica que, conforme a metodologia da GPTW, o bom resultado alcançado nessas cinco áreas define a Empresa como um excelente lugar para se trabalhar. “As dimensões Credibilidade, Imparcialidade e Respeito permitem avaliar a eficácia das práticas de gestão de pessoas na relação das lideranças com a sua equipe. Já Orgulho e Camaradagem evidenciam o grau de satisfação do empregado com o seu trabalho e na relação estabelecida com os colegas”, comenta.

Para o operador Cristian Neiva, a maior abertura para o diálogo foi determinante para gerar um melhor ambiente de trabalho

Many acredita que o desafio lançado em 2015 pelo presidente Frederico Ayres de Lima para que a Aperam se tornasse a melhor empresa do setor siderúrgico, no Brasil, segundo o Guia Exame das Melhores Empresas para Você Trabalhar, serviu como estímulo para lideranças e empregados.

Como meta do roadmap da Diretoria, o trabalho foi acompanhado de perto, com ações bem direcionadas ao objetivo de aumentar a percepção dos empregados com relação às práticas de Gestão de Pessoas. “Alcançamos um resultado de extrema relevância e devemos nos manter focados, para seguir evoluindo. Nesse sentido, avalio que a proximidade entre o gestor e sua equipe, que já apresentou um progresso, deve se manter no centro das atenções, para que possamos alcançar melhorias que se desdobrem em áreas como Segurança e Clima”, comenta o presidente Frederico Ayres Lima.

 

 

 

 

 

 


Percepção na rotina

Árysson Alcântara (de pé) e integrantes da equipe de PLIM: nas reuniões semanais de follow up, o tema ‘clima organizacional’ passou a ser pauta obrigatória

Há 18 anos na Aperam, o operador mestre da Aciaria (PACE), Cristian Souza Neiva, observa a evolução no ambiente de trabalho e atribui a melhoria nos resultados da pesquisa a três fatores principais: o acesso à informação, a gestão participativa e a mudança do local de trabalho do gerente para mais perto dos operadores. “Temos liberdade para conversar e tirar qualquer dúvida relacionada à produção, às finanças e ao desempenho da área e da Empresa. Os gestores se preocupam em conversar, passar as informações e o clima entre os colegas também se aprimora. Embora a gente tenha padrões e procedimentos, temos liberdade para questionar, sugerir e propor melhorias”, diz.

Para o gerente de Manutenção da Laminação e Recozimento de Aços Inoxidáveis (PLIM), Árysson Alcântara, a melhoria dos resultados se deve basicamente a dois fatores: o investimento na construção de um ambiente de confiança e a inclusão do assunto ‘clima organizacional’ na rotina semanal dos follow ups de gestão. “Criamos oportunidades para que as pessoas falassem conosco sobre os assuntos que as incomodassem durante todo o ano, e não apenas no período da Pesquisa de Clima”, afirma o gerente, ao enfatizar que a proximidade com a equipe favoreceu essa abertura.

Árysson explica que não há receita de bolo para manter os parâmetros conquistados, mas que empatia e criatividade são habilidades que precisam ser treinadas e desenvolvidas por quem ocupa cargo de liderança. “Colocar-se no lugar do outro para antecipar-se às suas necessidades não é tarefa fácil, mas é papel do líder. Quem gosta de gente e se propôs a ser gestor tem que fazer essa reflexão continuamente”, conclui.

Compartilhar: