Revista Espaço

Juntos para evoluir

Encontros com empregados vão orientar melhorias na gestão

17

Preparação para aposentadoria também mobilizou familiares

Escutar, de acordo com os dicionários, significa ouvir com cuidado, atenção e interesse genuíno. Na Aperam South America essa foi a estratégia utilizada para conhecer ainda mais as percepções dos empregados sobre ambiente de trabalho, carreira e interações entre os colegas. Este ano, mais de 500 profissionais participaram de uma série de encontros denominada Escutando as Gerações em Timóteo, Belo Horizonte e São Paulo. A partir dessa iniciativa, a Empresa implantará um plano de ação em 2016.

Para a análise dos dados, a área de Recursos Humanos utilizou também informações da pesquisa de clima 2015, aplicada em outubro, e o retorno do Guia “Você S/A – Melhores Empresas para se Trabalhar” (na página 12 você pode ler mais sobre essa conquista). “Esses indicadores nos ajudaram a mapear de forma ampla a opinião dos colegas sobre a Empresa, o trabalho e outros pontos. Tudo isso nos auxiliará na proposição de ações que serão compartilhadas no próximo ano”, afirma Maria Eunice Barros, especialista em Recursos Humanos.

18

Reginaldo Claudino
Supervisor na Gerência de Laminação a Frio

Reginaldo Claudino, supervisor na Gerência de Laminação a Frio, foi um dos líderes que participou de um dos encontros com o RH para conhecer os primeiros desdobramentos do Escutando Gerações. Integrante da geração X (veja no quadro ao lado), ele acredita que um dos desafios é gerenciar as expectativas dos mais novos. “Eles têm o desejo de crescer na carreira, estão antenados com a tecnologia, mas a vivência e o aprendizado dos mais experientes também são essenciais”, observa. A própria trajetória de Reginaldo reforça essa ideia. Depois de 16 anos como operador, ele assumiu a supervisão em fevereiro de 2014. “Gosto muito do que faço, de aprender sobre as pessoas de minha equipe e sobre cada equipamento. Uma hora a chance aparece e para aproveitá-la temos de estar preparados”, conta. O momento de diálogo com outros supervisores, alguns com anos de experiência, trouxe ensinamentos. “Formar e liderar equipes exige equilíbrio e capacidade de motivar os colegas”.

 

 

 

 

“Criamos espaços para o diálogo e as opiniões nos ajudaram a identificar pontos fortes e oportunidades de melhorias. Proximidade e transparência foram os compromissos da Aperam que marcaram essa atividade”.

Maria Eunice Barros, especialista em Recursos Humanos

Raio-X Escutando Gerações

Mais de15 encontros…

…em 3 unidades….

…somando220 empregados escutados…

…e outras300 participações (profissionais e cônjuges) nas palestras da preparação para aposentadoria- Novos Caminhos


Troca produtiva

19

Patrícia aprovou a oportunidade de sugerir melhorias

Patrícia Coelho, 36 anos, laboratorista, está na Empresa há 11 anos. Para essa integrante da geração X, interagir com empregados da mesma faixa etária e que também têm alguns anos de experiência na Aperam foi produtivo por dois motivos. “Permitiu conhecer mais a rotina de alguns colegas e nos ajudou a apresentar sugestões de como podemos melhorar o clima de trabalho e a Empresa”, lembra.

No laboratório, ela observa as diferenças entre as gerações: os mais experientes, atentos à tarefa de compartilhar o conhecimento, e os mais novos, com muita vontade de aprender. “Os novatos chegam empolgados e precisam de orientações. Esse contato e a troca de experiências tornam o ambiente mais legal e produtivo”, avalia.

Para um futuro próximo, Patrícia planeja aprimorar suas competências, para não ficar “para trás”. “Percebo que preciso aprender mais para evoluir na carreira. Estou pensando em retomar a faculdade de administração. Depois, quem sabe, fazer algo mais específico, pois não quero sair da minha área”, conclui.

Cláudio Zanetti, 56 anos, analista financeiro, compõe o time dos Baby Boomers e atua no escritório de Belo Horizonte. Ele defende a integração entre pessoas de gerações diferentes como forma de potencializar o aprendizado contínuo. “Quando há pensamentos distintos, podemos largar o jeito consolidado ou antigo de fazer certas tarefas e, a partir da opinião do outro, executá-las de forma melhor”, enfatiza.

Gerações na Aperam

21

Cada grupo é classificado a partir da faixa etária e de características comportamentais específicas, como uso de novas tecnologias e relação com o trabalho.


Pontos positivos observados nas escutas

22

Claudio acredita na parceria entre as gerações

  • Proximidade com os líderes
  • Vínculo de amizades e envolvimento das famílias
  • Respeito à diversidade e segurança como valor
  • Liberdade com hierarquia
  • Oportunidade de crescimento, criatividade e trabalho em equipe

 

 

Compartilhar: