Revista Espaço

Envelhecer bem

Projeto apoiado pela Fundação Aperam auxilia aposentados

34

José Gregório atesta benefícios físicos e mentais da dança

Quem conhece José Gregório Filho, aposentado, de 69 anos, já sabe: nas manhãs de quartas e sextas o lugar certo para encontrá-lo são as aulas de dança de salão, no Grêmio Recreativo da Associação de Aposentados e Pensionistas de Timóteo (AAPT). Ele e a namorada integram o grupo de 13 casais que participam da atividade. “Fui um dos primeiros inscritos. Na adolescência eu adorava os bailes. Não era um grande ‘pé de valsa’, mas sabia dançar. Busquei o curso para dominar a técnica”, conta.

Bolero, valsa, xote e samba já embalaram algumas das manhãs, desde 2014. Os dois primeiros ritmos são os favoritos. Além de aprender os passos certos, ele conta que a dança tem contribuído para a melhoria do equilíbrio, da coordenação motora e permitiu ainda a descoberta de novas amizades. Animado, José afirma que o desejo da turma é fazer apresentações para o público externo. “Já dançamos em eventos da Associação. Agora, queremos mostrar nosso talento para a comunidade. É uma forma de valorizar o que temos feito”, acredita.

Além do curso de dança, mais de 800 associados da AAPT participam de outras atividades do programa Andanças (O programa “Andanças – em busca de novos caminhos” foi criado em 1996 a partir da parceria entre Fundação e AAPT. Com foco na melhoria da qualidade de vida dos aposentados, pensionistas e pessoas da terceira idade, a iniciativa conta com uma metodologia participativa, em que os próprios participantes definem e executam as ações. Há 10 anos, ele é coordenado pela Associação dos Aposentados e Pensionistas de Timóteo e recebe a assessoria da Fundação em todas as ações de promoção da saúde, cultura, qualificação e geração de renda.), realizado em parceria com a Fundação Aperam Acesita.

“Buscamos sempre ouvir os aposentados para entender as necessidades deles. Além dos grupos fixos, temos um calendário anual de atividades que reúne seminários de saúde, desfile de moda e bailes. Tudo com foco na qualidade de vida e na integração”, destaca Márcia Marinho, coordenadora de projetos da AAPT.

“As estatísticas apontam para um número crescente de idosos no país. Contribuir com o Andanças é sinalizar que apostamos no envelhecimento alinhado à qualidade de vida e à socialização integral. “

Vera Dutra, coordenadora de projetos da Fundação

Compartilhar: