Revista Espaço

Caminho novo para o aço

Linha férrea é opção para diversificar transporte de produtos, reduzindo tempo de entrega para clientes

10

Equipe confere aço a ser enviado pela linha férrea

O trecho da BR-381 entre Timóteo e Belo Horizonte, conhecido pelo alto índice de acidentes, e a concentração de deslocamento de aços nos finais de meses trouxeram um novo desafio para o escoamento da produção da Aperam South America.

A alternativa idealizada ainda em 2012 e colocada em prática este ano consiste na utilização da Estrada de Ferro Vitória a Minas, entre a Usina e o terminal Integrador da Valor Logística Integrada (VLI), situado na cidade Santa Luzia, região metropolitana de Belo Horizonte. Mensalmente, a empresa direciona cerca de oito mil toneladas de bobinas de aço carbono para o local. O produto tem como destino clientes da região Sudeste do país e as cargas são transferidas para caminhões, que completam a viagem até os clientes. Está em fase de testes o transporte ferroviário de aços laminados a frio, como o inox.

Com essa opção, os clientes ganham agilidade nas entregas. A Empresa reduz o tempo entre a fabricação e o envio dos produtos. Outro benefício alcançado é a redução do fluxo de veículos que circulam na BR-381. Cerca de três mil caminhões por ano deixarão de passar pelo trecho entre a Usina e Belo Horizonte. “A empresa contribui para diminuir o risco de acidentes e ainda reduz a emissão de dióxido de carbono (CO2)”, destaca Magno Frade, supervisor de transportes.


Mais próximo

Uma melhoria obtida com esse canal de escoamento é o projeto “Avanço de carga”, implantado pela área de Logística. Pedidos de clientes entregues pela produção e que só aguardam algum tipo de resolução administrativa estão sendo enviados para um ponto de armazenamento em Santa Luzia. Dessa forma, quando a carga é liberada, ela está mais próxima do cliente. “Até então, a estocagem desse aço era feita na Usina e podia demorar até 12 dias para chegar ao destino. Com esse ponto de apoio, em média, gastamos entre dois e três dias para entregar”, observa Magno. Outro benefício foi a segurança de quem trabalha nas expedições, que foi ampliada em virtude do maior espaço disponível para o manuseio das cargas.

A iniciativa foi reconhecida internamente e a equipe responsável conquistou o troféu Liderança, concedido às ações que se destacam no decorrer do ano por evidenciar a melhoria contínua dos processos.

Compartilhar: