Revista Espaço

Além da sala de aula

Projeto no Vale do Jequitinhonha recebeu apoio do Edital da Fundação

Dedicação, diálogo e criatividade. Com essa fórmula a professora aposentada Geralda Santos ajudou a transformar a vida de 80 crianças atendidas pelo Centro Social Marli Martin, em Itamarandiba, no Vale do Jequitinhonha. Com a aprovação do projeto Alegria de Aprender pelo Edital da Fundação Aperam Acesita, a entidade pôde garantir a atividade entre o fim de 2014 e meados de 2015.

Os encontros de Geralda com a turma de crianças entre 7 e 11 anos aconteciam duas vezes por semana na sede do Centro. Os participantes estudam regularmente e aperfeiçoam o aprendizado no projeto. O português e a matemática ganharam novas formas durante o apoio pedagógico para um grupo heterogêneo. “Esse era um dos desafios. Os alunos tinham necessidades diferentes. Alguns precisavam de suporte com os números, outros com a escrita e com graus de dificuldade distintos. Sempre procurei ouvi-los para facilitar a interação”, lembra.

A professora conta que o uso de vídeos e as dinâmicas tornaram o aprendizado mais atrativo. “O conteúdo estava conectado com as necessidades deles e com uma apresentação diferente. As vezes um vídeo servia de base para orientações das duas matérias”, observa.

Pelo caderno de aula é possível ver o desenvolvimento de cada aluno. Além disso, o retorno dos pais também foi positivo. “É muito gratificante ver uma criança que aprendeu a ler conosco abrindo o primeiro livro”, comemora.

Essa foi segunda vez que o Centro participou do Edital da Fundação. Na primeira, uma falha na documentação impediu o bom resultado. “Revisei a proposta e vamos pleitear a parceria novamente este ano. O apoio é extremamente importante para mantermos essa ação em andamento”, afirma Luciene Câmara, supervisora do projeto.

“Ações como essa extrapolam os indicadores educacionais. Há valores como cidadania e ética inseridos nas atividades. O impacto vai além do material que disponibilizamos e se reflete na melhoria da autoestima dos beneficiados.”

Neide Morais, coordenadora de projetos da Fundação.

35

Projeto atendeu 80 crianças da região

Centro Social

Criada em 2004, a instituição atende às comunidades urbana e rural, sendo a maior parte dos assistidos formada por crianças, jovens e adultos de famílias de baixa renda. Além do projeto Alegria de Aprender, o Centro tem iniciativas apoiadas pela Fifa, Criança Esperança e outros parceiros.

Compartilhar: