Revista Espaço

Um ippon a favor da inclusão

Ajudôu e Fundação inserem judô no dia a dia de alunos em Timóteo

33

Esporte tem melhorado rendimento dos estudantes da MAMP, no bairro Alphaville

No judô o ippon significa um golpe perfeito, a derrubada do oponente. E é por isso que se pode afirmar que o projeto Ajudôu tem colecionado ippons contra a desigualdade social e a favor do desenvolvimento de crianças e adolescentes. Em duas décadas de existência já são mais de oito mil beneficiados.

Atualmente, com o apoio de prefeituras e parceiros, via Lei de Incentivo ao Esporte, o projeto atende a cerca de 1.600 alunos em Timóteo, Governador Valadares,Nova Era, Raul Soares e outras cidades nos Vales do Aço, Rio Doce e na Zona da Mata mineira. Em Timóteo são 400 assistidos, entre eles, o grupo de 120 alunos da Escola Municipal Maria Aparecida Martins Prado (MAMP), na região do bairro Alphaville.

34

Monaliza: de aluna a monitora

Para essa turma, o Ajudôu contou também com o apoio da Fundação Aperam Acesita, via Edital de Projetos. “A entidade foi uma das primeiras a nos apoiar. A partir de 2007, com a Lei Federal de Incentivo, o contexto de captação de recursos cresceu”, destaca Júlio César Lana, judoca e coordenador do projeto. Para o presidente da Fundação, VenilsonVitorino, a parceria com o Ajudôu no Edital e em outros momentos nasce da sintonia de objetivos. “Os resultados desse projeto estão alinhados com a proposta da Fundação de favorecer a inclusão social e o desenvolvimento da sociedade. O esporte pode nos auxiliar nisso”.

Os frutos do trabalho já são percebidos. Monaliza Cristina de Assis, 26 anos, monitora das aulas na MAMP viu no judô a oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional. Ela foi aluna do projeto dos 11 aos 22 anos, competiu em São Paulo e retornou para Timóteo. Chegou a trabalhar no comércio antes de voltar ao projeto, com outro papel. “Nada melhor do que trabalhar com o que gostamos de fazer. Com o Ajudôu passei a me comunicar melhor, a ter mais disciplina e a pensar em uma carreira (atualmente cursa Educação Física). Espero passar o que aprendi para os outros”, conta.

Para o diretor da MAMP, Edson Morais, as virtudes do judô têm influenciado o comportamento dos alunos. “Os casos de indisciplina diminuíram muito e observamos a melhoria no rendimento e autoestima deles. Vários pais também relatam que a prática esportiva mudou a postura dos filhos dentro de casa”, comemora.

“Acompanhamos os resultados por meio das visitas e dos relatórios trimestrais. Ver, na prática, os benefícios reforça nosso compromisso com ações como essa.”

Neide Morais, coordenadora de projetos


Você sabia?

O judô é apontado pela Unesco como o melhor esporte para a formação inicial de crianças e jovens. O aprendizado a partir da infância contribui para a formação do senso de disciplina, melhora raciocínio e concentração, equilíbrio mental, autoestima entre outros fatores.

Compartilhar: