Revista Espaço

Timóteo, capital do origami

De dobra em dobra, especialista da cidade se destaca no cenário mundial

35

Em uma de suas obras, Isa reúne origamis e inox

Muitos mais do que dobrar papéis até eles ganharem formas de flores, animais, esferas entre outros. A secular arte do origami encanta e mobiliza milhares de pessoas ao redor do mundo, como a advogada e origamista Isa Klein, moradora de Timóteo (MG).

Ela descobriu a prática ainda na adolescência. Anos mais tarde, após pesquisas, resolveu produzir os primeiros até se especializar nos origamis modulares. Hoje, ela se tornou referência internacional na produção das peças e participa dos maiores eventos no Brasil e em outros países, como a convenção japonesa de origamistas, sediada em Tóquio, no primeiro semestre. “Nesses encontros, trocamos técnicas e experiências. Adoro a possibilidade de compartilhar o que sei”, conta. Além do Japão, a origamista já esteve em convenções nos Estados Unidos, Argentina, Venezuela e Chile.

Criativa

Isa desenvolve obras que reúnem dobraduras modulares de papel e peças de aço inox ou cobre. A ideia surgiu em 2008 com a presença na tradicional exposição “Essas Mulheres” da Fundação Aperam Acesita. “Queria apresentar os origamis, mas não tinha uma categoria para encaixar. Comprei barras de inox e criei uma peça que integrava origamis e o aço. Gostei do resultado e passei a fazer essas composições”, afirma. A parceria com a entidade tem auxiliado na divulgação e no reconhecimento do trabalho. Em 2014, a Fundação promoveu a exposição “Papel, pano e sentimentos”. “Acredito que fiz a primeira mostra da arte na cidade. É legal observar a satisfação das pessoas ao verem algo novo. E a cada exposição procuro me superar e oferecer obras novas”, conclui.36

Um dos pontos que chama a atenção no trabalho da mineira é a ausência de conhecimento teórico sobre origamis, o que se traduz numa forma diferente de produzir. “A matemática e a geometria são bases para desenvolver as peças, mas não sou especialista nisso. Elaboro minhas peças de forma empírica e intuitiva. Penso no origami pronto e começo a testar maneiras de construí-lo, como se fosse uma engenharia reversa”, explica.

A capacidade inventiva de Isa levou ainda à criação de um cortador de papel de origamis. A ideia surgiu do fato de o país não dispor do produto. “Desenvolvi um protótipo e quando contei para os meus seguidores no blog e no Youtube várias pessoas o encomendaram. Foram mais de mil cortadores”, lembra.

Compartilhar: