Revista Espaço

Inox ganha o campo

Aço em caçambas agrícolas é aposta de empreendedor de Timóteo

5

Teixeira e Moacir têm expectativas positivas para o produto

O presidente da Aciati(Associação Comercial, Industrial, Agropecuária e de Prestação de Serviços de Timóteo), produtor de leite e engenheiro metalúrgico, Antonio Teixeira, está apostando em uma nova aplicação para o inox no agronegócio: a fabricação de caçambas para as carretas que circulam no campo. O projeto surgiu sem propósito comercial, ainda em 2011, depois que Antonio orçou a reforma de uma das caçambas de aço carbono utilizada na produção de leite.

“O conserto custava 50% do valor de um produto novo, sendo que o modelo tradicional dura pouco, cerca de três anos”, conta. Por isso, o produtor procurou um amigo, também engenheiro, e pediu uma versão em inox. Quando o equipamento ficou pronto, ele observou que os funcionários da fazenda preferiam trabalhar com ele. “A nova caçamba traz mais facilidade na hora de descarregar, de limpar e pode ser estacionada em qualquer lugar, porque o inox não enferruja”, afirma.

Depois de três anos de uso, a caçamba de inox continua em bom estado, enquanto as outras já estão bem desgastadas. Essa constatação deu origem à Sólida Inox. Entre inovação e resultado, a proposta dá seus primeiros passos e a expectativa é de que, até 2016, a empresa forneça ao mercado mais de 200 unidades.

6

Caçamba utiliza cerca de 500 kg de inox

Uma caçamba requer cerca de 500 kg de inox e a Sólida Inox já estuda incorporar a seu portfólio modelos para tração animal e carrinhos de mão. “O potencial é grande, porque o produto dura cinco vezes mais, em média, que o modelo em aço carbono. Além disso, tem o aspecto sustentável. A caçamba de inox é facilmente reciclada, vira sucata de usina, enquanto a outra se deteriora e tem o reaproveitamento inviabilizado”, explica.

A filial da Aperam Serviços em Timóteo, responsável por fornecer a matéria-prima à Solida Inox, também prestou consultoria à empresa e apontou que, além do inox 410, as caçambas podem ser fabricadas com o 430. O primeiro pode ser soldado com mais facilidade, enquanto o segundo (comumente aplicado em baixelas e utilidades domésticas) tem melhor aparência. Segundo Moacir Caetano Filho, gerente da Aperam Serviços, há uma lacuna no mercado que pode ser preenchida pelo produto. “A expectativa é positiva. A nova caçamba está despertando o interesse dos produtores rurais na região”, comenta.

Compartilhar: