Revista Espaço

Exercício de paciência

Empregado da Aperam tornou-se especialista em bonsai

28

No futuro, empregado planeja investir no hobby

O interesse pelo verde e pelas plantas vem da infância, mas os primeiros passos como bonsaísta foram dados há 12 anos. Márcio Roldão, inspetor de qualidade da Laminação a Frio de Aços Elétricos, que trabalha na Empresa há 25 anos, descobriu o bonsai por meio de um colega de trabalho. “Minha esposa e eu já cultivávamos orquídeas há mais tempo. Então, conhecemos o Peterson Will, que cultivava bonsai. Acabamos trocando os hobbies: ele passou a cultivar orquídeas e eu me encantei com essa arte oriental”, lembra. O inspetor estuda as técnicas desde então. Diariamente ele dedica cerca de duas horas e meia para cuidar das plantas. “É um exercício de concentração e dedicação. Às vezes você espera anos para ver o crescimento de um bonsai. E não pode perder a disciplina nem se descuidar.Quando crio um, me sinto responsável por ele”, conta. A prática agregou a Márcio virtudes importantes. “Sou uma pessoa mais paciente, aprendi a esperar e a pensar bem antes de tomar uma decisão”, afirma. De lá para cá, ele conta com 50 espécies e mais de 800 plantas no quintal de casa, entre mudas, pré-bonsai e bonsai.

Prática em família

29

Márcio e os bonsais: cuidado diário

Márcio não está sozinho no cuidado com as plantas.Os filhos Débora, de 7 anos, e Lucas, de 14 anos, estão aprendendo com o pai. “A mais nova adora podar. Ela já manuseia a tesoura com jeito, observa bem antes de cortar.O adolescente me acompanha nas coletas externas”, explica.

Nos próximos anos, após a aposentadoria, o bonsaísta quer se dedicar mais e pode transformar o lazer em negócio. “Quando tiver mais tempo, vou fazer cursos, participar de eventos. Quero promover essa arte”, planeja.

 

 


História

A palavra bonsai tem origem japonesa, mas a arte que ela representa nasceu no império chinês. A arte do ‘pun-sai’, técnicas especiais para cultivar árvores anãs em bandejas,teria sido iniciada pelos chineses no ano 700 a.C.Originalmente, apenas a elite praticava e as árvores eram consideradas presentes de luxo.

Acredita-se que as primeiras paisagens em bandeja foram trazidas da China para o Japão há pelo menos 1.200 anos, como lembranças religiosas.

Os primeiros bonsais chegaram ao Brasil junto os imigrantes japoneses que para cá vieram no início do século XX.

Compartilhar: