Revista Espaço

A caminho do zero

Estatística evidencia boas práticas na planta; mês de abril destaca busca pelo zero acidente

13

Health and Safety Day reúne empregados para refletir sobre saúde e segurança

Hora de reforçar o compromisso de cada um com a vida. Em abril, os empregados de todas as unidades da Aperam no mundo participaram do Health and Safety Day (Dia da Saúde e Segurança), momento em que são convidados a reservar parte do tempo de trabalho à reflexão sobre saúde e segurança. Palestras e treinamentos estimulam o diálogo entre as equipes e fortalecem o comportamento seguro.

Este ano, as atividades na planta de Timóteo ocorreram no dia 16 de abril. Mas desde 2006, a unidade dedica todo o mês de abril para refletir sobre o tema. “Trata-se de um período estratégico para consolidar junto a empregados próprios e terceiros a relevância das ferramentas de prevenção e a cultura da segurança”, avalia Sebastião Miranda, gerente executivo da Gerência de Saúde, Segurança e Meio Ambiente.

12

Empregados do Alto-Forno contam com calendário de auditoria cruzada

E o resultado tem sido positivo. De 2010 até o ano passado, a taxa de frequência de acidentes apresentou queda gradativa, tendo recuado de 3,5 para 1,44. O indicador está entre os melhores do mundo no setor da siderurgia. “Essa fase reflete um período em que atuamos não somente com ferramentas ou disciplina, mas fortemente com a conscientização. Mostramos que o papel e o cuidado de cada pessoa contribuem diretamente para o nível de segurança dela e o dos colegas”, explica Sebastião Miranda.

O caminho para o zero acidente passa pelo engajamento de 100% dos empregados. Para seguir nessa direção, a Aperam tem apostado em consultorias externas, como o trabalho realizado em 2013 pela DuPont, empresa norte-americana (especializada em produtos e serviços de treinamento) referência em segurança. “A partir desse suporte, intensificamos o uso de ações focadas em prevenção. A análise de acidente é importante, mas tem caráter corretivo. Bem diferente da auditoria comportamental, iniciativa preventiva, a que as lideranças estão se habituando”, destaca.

Em 2015, a Aperam já visitou três grandes empresas dos setores de mineração e siderurgia para um trabalho de benchmarking (Integra o processo de busca das melhores práticas numa determinada indústria. Uma empresa examina como outras realizam uma função específica a fim de melhorar a forma como realiza a mesma tarefa ou atividade semelhante.). “Quando estudamos as práticas e sistemas utilizados pelo mercado, avaliamos que estamos no caminho certo”, afirma Rodrigo Bumagny, engenheiro de Segurança do Trabalho. Isto faz parte do processo de melhoria contínua e é o caminho que escolhemos para nos tornar uma empresa classe mundial na gestão da saúde segurança e meio ambiente.

Boas práticas

14

Robson (dir): Guardião da Segurança estimula comportamento seguro

No Alto-Forno, as auditorias comportamentais foram bem assimiladas. Uma tabela fixada no quadro de avisos informa o dia e o turno em que todos empregados, do forneiro ao supervisor, devem praticar a auditoria cruzada. Por esse modelo, um profissional observa a atuação do colega de outra área. “O olhar de quem não faz aquilo diariamente é outro. As pessoas já se acostumaram e aceitam uma abordagem que resulte em melhoria da segurança”, avalia Marcelo Araújo, gerente do Alto-Forno 2.

O programa Guardião da Segurança (O projeto habilita empregados para orientar os colegas, fazer auditorias e inspeções na área. Periodicamente, os guardiões apresentam em relatórios suas análises e estatísticas), outra boa prática adotada na planta, está chegando à Aciaria. Implantado em 2013 na Gerência Executiva de Laminação e Metalurgia de Aços Elétricos, o procedimento contribuiu para que a área terminasse o ano sem acidentes. “Uma proposta que estimula o comportamento seguro pode e deve ser copiada”, diz Robson Machado, gerente da Aciaria.


Aperfeiçoar

A melhoria do ambiente de trabalho na Aperam South America é vista como um componente importante para a manutenção de uma Empresa segura e saudável para todos. “Fortalecemos a segurança com base em desempenho técnico (gestão, indicadores, uso do EPI etc.) e, principalmente, com relacionamento. Para ter uma boa convivência entre as pessoas é necessário um clima de confiança, respeito e transparência”, avalia Rodrigo. Para se aperfeiçoar constantemente a Empresa conta com o auxílio da Pesquisa de Clima.Oprocesso ocorre a cada dois anos desde 1995, com o objetivo de identificar a percepção coletiva que os empregados têm sobre alguns fatores que interferem na satisfação com o ambiente interno.No levantamento feito no fim de 2014, os participantes apontaram que o item “Orgulho de pertencer” continua sendo um dos fatores de destaque na relação com a Aperam.

 

Compartilhar: