Revista Espaço

Esquentando os motores

Empresa conclui testes para apresentar ao mercado automobilístico novos modelos de aços elétricos

2

Equipe responsável pelos testes na planta em Timóteo (MG)

A Aperam South America se prepara para explorar mais um nicho de mercado: os aços elétricos para motores de carros híbridos. A expectativa é disponibilizar os novos produtos para os clientes desse segmento em 2015. Os testes começaram em 2009, em busca de melhores propriedades mecânicas e magnéticas.

Os carros híbridos têm motor a combustão convencional, associado a um elétrico que funciona à base de eletricidade, gerada durante as frenagens e armazenada em suas baterias. O resultado é a melhoria de desempenho do veículo e a redução da emissão de gases poluentes na atmosfera em até 40%, em comparação com veículos movidos somente a motores a combustão.

Diferentemente do que ocorre no Brasil, os veículos híbridos já são uma realidade em vários países. O Prius – considerado por especialistas como um dos precursores, fabricado pela Toyota – é o carro mais vendido no Japão há alguns anos. São mais de três milhões de unidades em todo o mundo. Pesquisas projetam, ainda, aumento de 250% nas vendas de veículos híbridos entre 2012 a 2020 no planeta.

Por aqui, esse modelo deve começar a cair no gosto popular a partir de 2016. A Toyota já sinalizou a instalação de uma fábrica em São Bernardo do Campo (SP) em dois anos, o que deve gerar uma queda significativa no valor do automóvel híbrido – hoje disponível apenas por importação, custando em torno de R$ 120 mil – e fortalecer o mercado no Brasil.

De acordo com Sebastião Paolinelli, responsável pelo projeto e coordenador da equipe de pesquisadores de aços elétricos da Aperam, a Empresa está se programando para mais uma experiência no início de 2015, de modo a garantir o atendimento aos requisitos da Toyota na produção de aço elétrico de grão não-orientado e apresentarse como um fornecedor em potencial. “Com pequenos ajustes na microestrutura final do aço, vamos atingir as especificações desejadas pela fabricante”, explica. Atualmente, apenas a Aperam produz esse aço no país, considerado um produto nobre e de ponta. São três tipos para uso em carro híbrido, com as espessuras de 0,25 mm, 0,30 mm e 0,35 mm.

“Os híbridos são a transição dos carros puramente movidos a combustíveis fósseis (gasolina, diesel, etanol) para os veículos totalmente elétricos, que ainda necessitam de estudos para aumentar a autonomia e também a infraestrutura de recarga. Como possuem motor elétrico e a combustão, os modelos híbridos registram autonomia muito maior do que a dos carros elétricos”, destaca, Rubens Takanohashi, assistente técnico, responsável pela interface com o mercado.

Além do Centro de Pesquisa, profissionais das áreas Comercial, de Metalurgia e de Produção estão envolvidos no projeto.

Qual é a diferença entre veículo híbrido e elétrico?

O elétrico precisa ser recarregado por uma fonte de energia externa (tomada). Já no híbrido, a carga pode ser restabelecida pelo motor a combustão e pela energia cinética gerada na frenagem do carro.

Na Aperam

Os aços GNO produzidos pela Aperam podem ser fornecidos na forma de bobinas, tiras ou chapas, conforme normas internacionais, para aplicação em núcleos de geradores e motores elétricos, medidores de energia, etc. Esse tipo de aço possui um alto valor de permeabilidade e baixas perdas magnéticas. O aço elétrico da Aperam está sendo utilizado no desenvolvimento de um dos maiores aceleradores de partículas do mundo.

Compartilhar: