Revista Espaço

Para relembrar

Na edição que marca os 70 anos da Aperam South America, a Revista Espaço resgata a história de ex-empregados

16

Roberto destaca a rede de relacionamentos que construiu na Empresa

Depois de décadas trabalhando no mesmo lugar, os vínculos construídos entre empresa e suas equipes muitas vezes permanecem, mesmo após a saída do empregado. Dos 56 anos de Roberto Mafra Couri, por exemplo, 40 foram dedicados à Aperam. Ele entrou como mensageiro aos 15 e se aposentou como analista de Qualidade em abril. A história de quatro décadas que Roberto construiu na Empresa teve início com o pai, José Couri, que ingressou em 1960 na então Acesita, em uma unidade próxima a Governador Valadares. Em 1971, foi transferido para o setor de Almoxarifado em Timóteo, onde trabalhou por mais sete anos. “Meu pai incentivou muito minha entrada na Aperam”, afirma.

Mesmo tendo começado a trabalhar muito jovem, Roberto nunca perdeu o foco nas oportunidades de qualificação. Fez o curso técnico em mecânica e, aos 45 anos, ingressou na faculdade de Ciências Contábeis. “Construí uma vida dentro da Aperam, recebi o suporte para crescer profissionalmente e sou muito grato”, comenta. Por isso, o saldo do período, segundo Roberto, é positivo. “Cheguei ao fim da carreira na Empresa com saúde, bem qualificado e contando com uma rede de bons amigos”, explica.

Hoje, Roberto ocupa o cargo de Diretor Comercial na Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Empregados das Empresas e Prestadores de Serviços do Grupo ArcelorMittal (Sicoob Copesita). Também preside o Acesita Esporte Clube. “A experiência que adquiri no trabalho e a confiança que conquistei junto às pessoas com quem trabalhei foram fundamentais para o novo momento profissional”, celebra.

15

A produção de artesanato foi uma das atividades escolhidas por Edna depois de se aposentar

Edna Cavallieri também viu no pai a inspiração para desenvolver sua carreira na Aperam. Leandro Cavallieri foi operador de ponte da área de Barras e atuou por 26 anos na Empresa. “Ele era um homem dedicado e satisfeito com o trabalho. Se ele era feliz, eu também podia ser”, relembra.

A chance veio por meio de uma vaga de auxiliar de escritório. Depois de 32 anos de atividades, Edna se aposentou como secretária na superintendência de Produtos Siliciosos em 2006. “Hoje, sinto-me realizada”, garante.

A saída da Empresa trouxe a necessidade de buscar novos caminhos. Atualmente, Edna produz e vende artesanato, e integra o Conselho da Mulher Empreendedora de Timóteo da Aciati-CDL e a Pastoral da Igreja.

 

Compartilhar: