Revista Espaço

Cada gota conta

Uso consciente da água deve ser adotado por todos16

A combinação de maior consumo de energia elétrica com a escassez de chuvas em grande parte do país, registrada este ano, reforça a necessidade de refletir sobre como cada um utiliza recursos indispensáveis para o dia a dia. Água e energia elétrica relacionam-se diretamente, uma vez que mais de 80% da matriz energética brasileira compõe-se de grandes hidrelétricas.

Empresas e sociedade podem atuar para a melhoria desse quadro. A Aperam South America, reconhecida pelo Guia de Sustentabilidade da Editora Abril como uma das empresas mais sustentáveis do Brasil, adota uma série de ações para reduzir o consumo de água, como a recirculação de 95% do recurso utilizado na Usina. Recentemente, o Centro de Energia da Unidade otimizou o sistema de bombas que levam a água do rio Piracicaba para a planta industrial. Durante alguns períodos do dia, as bombas são desligadas para evitar a captação de excedente. “O mais importante é eliminar o desperdício da água ou da energia nas residências e no trabalho”, reforça Luciano Miranda, assistente técnico da equipe de Eficiência Energética da Gerência de Infraestrutura.

Educar e preservar

O Oikós, Centro de Educação Ambiental da Aperam South America, situado em Timóteo (MG), abriga 32 nascentes, que têm os índices de vazão monitorados mensalmente desde 2008. Os resultados chamam a atenção para as alterações no clima. Fenômenos como a concentração de muitas chuvas em um espaço curto de tempo estão mais frequentes e dificultam o abastecimento dos lençóis freáticos e, posteriormente, das nascentes. “Observamos uma queda no volume de água nas nascentes nos últimos anos, fato que ocorre país afora”, alerta Luiz Antônio Ferreira, coordenador de projetos da Fundação Aperam Acesita.

Como resposta a esse cenário, o trabalho do Oikós concentra-se em duas frentes: a promoção da consciência ambiental e a preservação das matas ciliares e da cobertura vegetal dos topos de morros das áreas verdes da empresa, localizados no município de Timóteo, elementos responsáveis por abastecer as nascentes. Escolas do município utilizam o Centro como extensão das salas de aulas para fortalecer os conceitos de preservação. “Não podemos desperdiçar este precioso recurso. Outro fator que contribui para estas mudanças climáticas são os incêndios florestais muito comuns na época mais seca do ano. Portanto, precisamos ficar atentos e não provocar queimadas. Preservar é dever de cada um”, completa.

Como evitar o desperdício de água

  • Na hora de limpar a calçada ou o quintal deixe a mangueira de lado e pegue a vassoura. Em cinco minutos são gastos quase 100 litros, o que daria para encher 50 garrafas pet*.
  • O chuveiro é um dos vilões no consumo de água. Para alcançar a média adequada (60 litros, equivalente a 30 garrafas pet) é necessário desligar o equipamento na hora de ensaboar e o banho não deve passar de cinco minutos.
  • Escovar os dentes pode consumir de 20 a 100 litros (entre 10 e 50 garrafas pet). A diferença está na torneira aberta ou fechada.
  • Ao molhar as plantas, por 10 minutos com uma mangueira, o consumo de água pode chegar a 186 litros (o que representa mais de 90 garrafas pet). Aguar com um balde ou um regador é uma ideia mais econômica.

*2 litros

Fonte: Copasa e Instituto Akatu

 

Compartilhar: