Revista Espaço

Intercâmbio leva boa prática para outras unidades

Método de bloqueio de equipamentos garante mais segurança

10

Consignação de equipamentos pode ser feita com etiquetas e cadeados

Compartilhar boas práticas e multiplicar resultados positivos. Esse princípio tem sido aplicado em todo o grupo Aperam, como forma de buscar resultados mais rápidos e precisos em diversas atividades. No caso da Aperam South America, ganha destaque nos últimos meses o intercâmbio com outras unidades em torno do Projeto de Consignação de Equipamentos (PCE). A proposta de trabalho engloba a Usina de Timóteo (MG), as unidades de tubos em Sumaré e Ribeirão Pires, ambas no interior paulista, e as unidades de tubos em Montevidéu, Uruguai, e de Serviços em Buenos Aires, Argentina

No início deste ano, o assistente de gestão da Laminação de Tiras a Quente, Rômulo Cássio Silva, que trabalha na usina de Timóteo há 31 anos, visitou as outras unidades para conhecer de perto a implantação do PCE. “Todos mostraram interesse no tema e sabem da necessidade de implantar o bloqueio de equipamentos. Como participei do início do processo em Timóteo, pude compartilhar com os colegas os desafios naturais dessa fase”, conta.

11A Unidade Sumaré teve como equipamento-piloto uma máquina de corte de tubos, e as demais Unidades apresentaram a Rômulo o slitter – tesoura rotativa utilizada na preparação e corte de chapas – com o sistema de bloqueio.

A interação também resultou em aprendizado para a Usina de Timóteo. O mapa do PCE adotado nas outras unidades conta com fotografias de cada etapa, por isso é mais didático. Em Timóteo, o documento baseia-se em textos e números. “Essa é uma melhoria que podemos aplicar em Minas”, afirma.

A troca de experiências começou ainda em 2013, quando argentinos, uruguaios e paulistas estiveram em Timóteo para conhecer o sistema. “Mobilizamos a equipe para explicar a eles como tudo funciona. Estamos contribuindo para a melhoria da segurança da empresa como um todo e não só na planta onde atuamos”, afirma Rodrigo Cabral, engenheiro de Segurança da Unidade Timóteo e coordenador do projeto de benchmark do PCE para a América do Sul.

Compartilhar: