Revista Espaço

Conhecimento compartilhado

Edital de Projetos mostra como pode ser uma iniciativa que vai além de ajudar organizações sociais na captação de recursos

28

Projeto que proporciona oportunidades de geração de renda serviu de inspiração para outras iniciativas

Quando a Fundação Aperam Acesita lançou seu primeiro Edital de Projetos, em 2012, a proposta era oferecer um canal transparente e democrático para que organizações sociais captassem recursos, colocando em prática iniciativas voltadas para educação, desenvolvimento comunitário, geração de renda e outros. Além disso, trata-se de uma oportunidade de capacitação para que os inscritos se tornassem aptos a ter sucesso ao participar de outros editais.

Em 2014, quando a Fundação se organiza para a terceira edição do Edital de Projetos, o trabalho mostra ter produzido outros desdobramentos. Os primeiros beneficiados pelo programa têm trazido sugestões sobre a aplicação da iniciativa em diferentes realidades e auxiliado os novos candidatos na elaboração de projetos. Um dos exemplos nesse sentido é dado pela Associação Minasnovense de Promoção ao Lavrador e da Infância da Área Rural (Ampliar).

“É gratificante porque trabalhamos pensando em multiplicar o conhecimento adquirido. Com nossa experiência podemos ajudar outras associações a também trazer melhorias para a vida de mais pessoas”, comenta Vanda Ferreira Rodrigues, coordenadora da associação. O projeto aprovado no primeiro edital conseguiu capacitar mulheres da zona rural de Minas Novas (MG) na fabricação de lingeries e mudou a rotina das participantes. O sucesso foi compartilhado com representantes de associações e prefeituras do Vale do Jequitinhonha durante uma apresentação em Capelinha (MG), no final de 2013.


Força para boas ideias

Após o evento,Vanda Ferreira Rodrigues foi procurada por pessoas interessadas no conhecimento conquistado. Em um desses telefonemas, estava do outro lado da linha João Batista de Sousa, presidente da Associação Comunitária dos Pequenos Produtores Rurais do Setúbal, de Itamarandiba (MG).

A conversa se tornou decisiva para que uma ideia desse grupo se transformasse em uma das propostas aprovadas na segunda edição do Edital de Projetos. A iniciativa oferecerá a dez mulheres, que já trabalham como costureiras, mais capacitação e oportunidades de aprimoramento. “Contei com o apoio de várias pessoas para elaborar o projeto e tenho certeza de que ele trará melhorias para a vida delas”, afirma João Batista.

Compartilhar: