Revista Espaço

Mais capacidade, menos carga

Atuação de três áreas da Aperam South America garante melhorias na Laminação a Frio de Aços Elétricos

15

As melhorias na Laminação a Frio de Aços Elétricos também garantiram mais conforto para quem opera a ponde rolante

Mais segurança e maior produtividade. Esses resultados serão obtidos pelo projeto desenvolvido pelas áreas de Engenharia, Manutenção e Laminação a Frio de Aços Elétricos. A iniciativa, com conclusão prevista para o terceiro trimestre de 2014, tem duas etapas: a substituição da ponte rolante 44 por uma nova, a PRS 65, e a troca do carro de elevação da ponte 63.

“As mudanças vão aumentar a capacidade de transporte na ponte. A antiga, por exemplo, tinha capacidade para deslocar 25 toneladas. Agora, esse número pode chegar a 35 toneladas. Dessa forma, a Empresa conseguirá deslocar maior peso com uma movimentação menor de cargas”, aponta o coordenador da gerência de Engenharia, Tarcísio Mendes de Assis.

 

As pontes rolantes são equipamentos utilizados na indústria para fazer o içamento e transporte de cargas de um lugar para outro. São compostas por três itens básicos: vigas, que realizam o movimento para frente e para trás; o carro de elevação, responsável pelo deslocamento da direita à esquerda, e a talha, que se dedica a posicionar a carga para cima e para baixo. A PRS 65, que substitui a PRS 44, é empregada no deslocamento de bobinas da saída da Preparadora de Bobinas 2 para o Recozimento e Decapagem 2 e transferência de bobinas do galpão do Laminador de Bobinas 2 até a área de Recozimento e Decapagem.

16

A nova ponte trouxe maior capacidade no transporte de bobinas

O assistente técnico da Laminação a Frio de Aços Elétricos Fernando Barcelos aponta as vantagens do ponto de vista da operação. “O profissional que utiliza o equipamento terá uma visão ainda melhor da ponte rolante, uma cabine mais ampla, com maior conforto e ergonomia. Além disso, a mudança vai assegurar melhor produtividade e aumento do rendimento físico”, comenta. Para a conclusão do projeto, estudos buscaram tecnologia de ponta, além da contratação de uma empresa especializada. De acordo com o Gerente da Laminação a Frio de Aços Elétricos Paulo Cesar Rocha Camillato, “trata-se da eliminação de uma grande vulnerabilidade, o que certamente garantirá a continuidade operacional com maior segurança para os envolvidos no processo”.

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Menu

Clique no botão de edição para alterar esse texto. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.