Revista Espaço

Inspiração feita de aço

Versatilidade do inox se mistura ao talento do escultor Lúcio Bittencourt em obras reconhecidas internacionalmente

1

Lúcio Bittencourt começou a envolver o inox em suas criações na década de 1980 e de lá para cá não parou mais

2Latas de óleo vazias e alguns pedaços de madeira, quando envolvidos pela imaginação de uma criança, podem se transformar nos mais variados objetos. Nas mãos de Lúcio Bittencourt, na época com nove anos, deram origem a um caminhão. Os anos se passaram, o menino virou artista e, no meio do caminho, encontrou possibilidades. “Já trabalhei com ferro, alumínio, mas amei mesmo foi criar a partir do inox. É fácil de limpar, de conseguir as formas de que eu preciso e de soldar”, conta o artista plástico.

Assim como descobriu o material favorito, Lúcio também achou o estilo que mais lhe agrada. Apesar do talento para miniaturas, figuras abstratas e monumentos, os temas religiosos ganham destaque em seu trabalho. Isso explica porque a primeira obra de Lúcio, em inox, trata-se de um Cristo com seis metros de altura, localizado na cidade de Ourinhos (SP).

O encanto pelo aço inoxidável acompanha a carreira do escultor, nascido em Mogi das Cruzes (SP), desde a década de 1980. Misturando pedaços de inox e de aço carbono ele também recorre a um verniz acrílico para alcançar as cores desejadas. “É interessante que nos depósitos ou ferros-velhos, onde busco sucata, alguém sempre me liga quando chega uma peça diferente. Eles acabam desenvolvendo um pouco desse olhar”, relata.

Com esses materiais, Lúcio já transformou em realidade mais de 12 mil projetos, entre eles 200 monumentos que chegam a 30 metros de altura. Eles estão espalhados em espaços públicos e privados de diversas cidades no Brasil e no exterior, como Lisboa (Portugal), Lyon e Paris (França). Além disso, a obra do artista já esteve presente em mais de duas mil exposições. Embora atenda a demandas de clientes, Lúcio dá grande importância às criações mais livres. “A arte é uma linguagem universal. Consegue atrair a atenção de jovens, crianças, adultos e idosos”, avalia.

Compartilhar: