Revista Espaço

Bases para o desenvolvimento

Eucalipto do Centro de Educação Ambiental– Oikós é parte da história do melhoramento genético da Aperam Bioenergia

31

Os primeiros cruzamentos foram realizados onde hoje é o Centro de Educação Ambiental – Oikós

Uma espécie garantia a produção de carvão com alta qualidade, mas crescia pouco. Outra apresentava um crescimento razoável, mas deixava a desejar em relação ao rendimento da madeira. Já que a solução seria obter o melhor de cada uma, a equipe da Aperam Bioenergia tratou de transformar o desejo em realidade. Isso aconteceu na década de 1980, quando a bateria experimental da Empresa estava localizada onde hoje é o Centro de Educação Ambiental – Oikós. Dessa forma tiveram início as pesquisas para o cruzamento genético das espécies de C. citriodora e C. torelliana.

“Como não havia muito domínio sobre as técnicas de polinização controlada, entre os mais de 2.000 cruzamentos realizados na época, apenas um fruto se desenvolveu. Ele continha somente duas sementes, que deram origem a duas árvores: uma foi abatida para que os brotos gerassem um clone. A outra segue preservada”, relembra Teotônio Francisco de Assis, na época empregado da Bioenergia.

Esse foi o primeiro cruzamento realizado, no mundo, entre essas duas espécies e o exemplar que compõe a vegetação do Oikós, chamado de C x T 01, gerou o primeiro clone desse tipo de cruzamento do qual se tem notícia. Enxertos e sementes do C x T 01 servem de material para novos cruzamentos e novos clones, que já atraem o interesse também para a produção de celulose e não somente de carvão. “O crescimento dessas duas árvores, sobretudo a que ainda vive, foi impressionante. Naquele momento, demos um passo importante para os estudos de melhoramento genético na empresa e, seguramente, lançamos a base para os resultados alcançados nos anos seguintes”, avalia Teotônio.

Presente e futuro

Já em sua fundação, a Aperam Bioenergia preocupou-se com os estudos na introdução de espécies buscando os melhores materiais genéticos para suas plantações de eucalipto. Assim conquistou sua autossuficiência na produção de sementes melhoradas que atualmente são destinadas ao mercado nacional, comercializando cinco espécies: E. cloeziana, E. grandis e E.urophylla, híbrido de E. urophylla e C. citriodora. Para alcançar os resultados, a empresa realiza um programa de melhoramento genético florestal.

“Como resultado do melhoramento genético podemos observar uma floresta mais homogênea, produção de madeira com maior uniformidade e estabilidade florestal com relação ao ataque de pragas e doenças. Além disso, temos plantios com boa adaptação às adversidades ambientais próprias da região caracterizada por baixo volume de chuvas. A Aperam é autossuficiente em material genético superior e selecionado para o seu negócio: produzir carvão de alta qualidade”, aponta a supervisora de Processo da Aperam Bioenergia, Claudilene Aparecida Alves Pena.

Atualmente, as pesquisas são realizadas em duas linhas, uma para o gênero Corymbia e outra para o Eucalyptus. No primeiro grupo, a empresa possui sete clones registrados, que apresentam madeira com excelentes características para a produção do carvão. No entanto, ainda apresentam produtividade abaixo dos níveis operacionais, sendo um grande desafio do setor. Chamam a atenção os resultados de clonagem obtidos no viveiro em Itamarandiba, Vale do Jequitinhonha (MG), com até 70% de aproveitamento final das mudas.

Para o gênero Eucalyptus, a Aperam Bioenergia tem registrados 27 clones para atender ao mercado. Entre esses, há dois clones de E. cloeziana voltados para o mercado local. Por meio de um trabalho inédito, desenvolvido pela Aperam Bioenergia, o E. cloeziana, que até então só era plantado por meio de semente, pode ser produzido por clonagem. Essa possibilidade tem contribuído para os bons resultados entre os pequenos produtores. No que se refere aos clones de interesse produtivo da própria Aperam Bioenergia, os mais plantados atualmente são o AEC0144, AEC0224 e o AEC1528, sendo o AEC0144 o mais plantado no Brasil. Esses fatores têm contribuído para dar destaque à empresa no setor.


Rumo à qualidade

A atividade de melhoramento genético é realizada por meio da recombinação entre espécies, com o objetivo de obter as melhores características de cada uma. Isso ocorre por meio da polinização controlada. Confira as principais etapas que contribuem para o desenvolvimento de uma árvore de eucalipto de qualidade.

 

Compartilhar: