Revista Espaço

Crescimento compartilhado

Empregados da Aperam South America falam das recompensas de ser um bom professor

25

Além de trabalhar na Laminação a Quente, José Geraldo dá aulas em um curso técnico de Administração

A entrevista, que prometia ser breve, durou mais do que o esperado. O motivo não era tanto a complexidade do assunto, mas o encantamento do entrevistado com o tema. José Geraldo ­de ­Castro ­Américo, ­assistente técnico de ­Gestão ­da ­Laminação a ­Quente,­ graduado em Administração e pós-graduado em ­Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas, foi convidado a falar para a revista Espaço sobre a atividade de professor.23

Essa vocação, ele descobriu aos poucos. Depois ­de 27­ anos na Aperam,­ percebeu que sempre ministrava treinamentos e se engajava nos projetos do Círculo de Controle de Qualidade (CCQ). O gosto por ensinar e orientar estava claro.

“É muito gratificante quando você apresenta algo novo para uma pessoa e, um tempo depois, ela retorna para dizer que aquele aprendizado foi importante”, conta ­José ­Geraldo, ­que ­leciona a disciplina de Administração,­ no ­Centro ­Técnico ­Lúcia Casa santa, há seis anos. Como todo professor foi, antes, um aluno. Ele acredita que um dos segredos para uma boa aula, além de planejamento e preparação, é carregar as boas experiências do tempo de estudante. “Fui ­aluno do ­professor ­Joubert, que lecionava Tecnologia da ­Informação,­ no Centro Universitário ­do ­Leste de ­Minas (Unileste). ­Ele sempre mostrou que também aprendia com os alunos.­ Isso ­é fundamental ­para construir um bom relacionamento”, avalia.

Perto dos livros

Das ­primeiras letras até ­o­ mestrado,­ a formação de Regina Célia de Melo passou pelo curso técnico em Metalurgia, a graduação em Administração, a especialização em Marketing­­ e o mestrado. Para ficar próxima dos livros e repassar um pouco do que aprendeu, a assistente técnica da área de Melhoria Contínua aceitou o convite para dar ­aulas no­ Unileste.­

“É uma atividade muito dinâmica. Não existe uma aula igual à outra. A interação com os alunos faz com que tudo seja diferente e, por isso, sempre dá um friozinho na barriga”, descreve. Nos quase 20 anos como professora, Regina Célia venceu a timidez inicial, o que contribuiu para sua rotina na Aperam. Além disso, ela pôde rever o ex-professor do curso técnico,­ Hélcio ­Drummond,­ em ­um ­novo papel, dessa vez, como seu aluno na universidade. “Eu acho que ele se sentiu orgulhoso com minha evolução. ­Isso ­faz parte da missão de um professor, ajudar as pessoas a crescer”, conclui. 24

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Menu

Clique no botão de edição para alterar esse texto. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.