Revista Espaço

Atenção para o mercado

Capacitações ­do ­Instituto ­do ­Inox garantem ­mão de ­obra ­e produtos de qualidade32

Geovane Oliveira, de 18 anos, sabe bem como soldar chapas e tubos de inox em diversas espessuras. Esses conhecimentos, adquiridos no Curso de ­Soldagem ­TIG,­ do ­Instituto do Inox,­ ajudaram ­o ­jovem a conseguir seu primeiro emprego. Ele faz parte dos 65% de alunos que, após o curso, receberam uma oportunidade. “Achei tudo muito interessante e o diferencial está justamente na formação voltada para o mercado de trabalho”, comenta.

Como ele, outros 22 alunos concluíram a qualificação no primeiro semestre, com carga horária de 100 horas, divididas entre teoria ­e prática.­ Daniel Damasceno,­ outro ex-aluno, descobriu a oportunidade por indicação dos amigos e tem gostado da área.­ “Já ­havia ­feito ­outro ­curso sobre soldagem, mas é sempre importante pensar em se capacitar. Os professores são muito bons e isso me ajudou a aprender bastante”, avalia.

No segundo semestre, a qualificação vem sendo novamente ofertada, e, também, o curso ­de Trabalhabilidade ­do Aço Inox,­ com carga horária de 300 horas. Neste, o aluno tem a oportunidade de conhecer as formas de aplicação do aço inoxidável, o fluxo de produção, soldagem, acabamento e cuidados no manuseio. Os dois cursos passaram por revisões a partir das quais foi possível otimizar e focar os conteúdos teórico e prático para a demanda atual do mercado de trabalho, além de permitir a melhoria no processo seletivo dos novos alunos.

“A seleção agora é feita por uma profissional da ­Fundação ­Aperam Acesita,­ com formação em psicologia, o que contribui para a escolha de candidatos com o perfil adequado. Também buscamos o diálogo constante com as empresas do setor para garantir que os alunos cheguem cada vez mais aptos ao mercado”, afirma o ­coordenador ­de ­Projetos ­da ­Fundação Aperam Acesita,­Fabiano Araújo.­

Qualidade na produção

No Vale ­do ­Jequitinhonha, ­a­ atuação ­do Instituto ­do ­Inox tem assegurado ­também melhoria na qualidade da produção dos serralheiros da região. Cursos, como o de Soldagem e Acabamento, promovido na oficina da Aperam Bioenergia, em Capelinha (MG), no segundo semestre, contribuem para melhorar efetivamente a qualidade dos produtos feitos em inox na região.

Paulo Alexandre Rodrigues, proprietário de uma serralheria em Minas Novas e um dos 12 participantes, acredita que o trabalho com o material requer cuidado especial e conhecimento de ótimas técnicas. Após o curso, ele já escolheu com quais peças quer trabalhar. “Pretendo me dedicar a objetos pequenos, como churrasqueiras, reservatório de serpentina e corrimão. Os conhecimentos vão me ajudar a desempenhar um trabalho de excelente qualidade”, aponta.

 

 

Compartilhar:
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Menu

Clique no botão de edição para alterar esse texto. Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipiscing elit. Ut elit tellus, luctus nec ullamcorper mattis, pulvinar dapibus leo.