Revista Espaço

Ler até os oito anos

Fundação Aperam Acesita apoia ações do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa

24

Encontros do programa Pacto são promovidos na Fundação Aperam Acesita

Olhos atentos em direção ao quadro enquanto o giz desenha uma letra por vez. Em seguida, o momento de memorizar cada uma delas, o nome certo e o som que produz. Dessa forma, não tão dinâmica quanto se propõe nos dias de hoje, a professora da Escola Municipal José Moreira Bowen, em Timóteo (MG), Wanda Costa, viveu o início de sua alfabetização. “Tudo muito mecânico. Com o passar dos anos o sistema educacional percebeu a necessidade de inserir a criança no processo de construção do conhecimento”, conta.

A professora também viu outras mudanças, como o ingresso obrigatório das crianças na escola aos seis anos. Desde abril de 2013, acompanha os primeiros resultados das ações do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, acordo firmado, em 2012, entre o Governo Federal, estados e municípios para assegurar que as crianças cheguem aos oito anos de idade alfabetizadas. Wanda, uma das professoras alfabetizadoras, participa das capacitações promovidas pelo programa. “O aprendizado ajuda muito em sala de aula. Precisamos inovar na maneira de ensinar e aproveitar, ainda mais, as potencialidades do material didático”, avalia Wanda.

Em Timóteo, três servidoras do município, treinadas na Universidade Federal de Juiz de Fora, ministram capacitações para cerca de 70 professores alfabetizadores da rede municipal que, por sua vez, lecionam para cerca de 1.170 alunos.“As habilidades de leitura e escrita precisam ser adquiridas no momento certo. Elas abrem inúmeras possibilidades para a criança construir sua vivência de mundo”, afirma a orientadora de estudos do Programa e servidora treinada, Reijane Gomes.

Foco no cotidiano

A capacitação, feita por meio de encontros mensais, somada aos seminários e às atividades extraclasse, totalizam 120 horas. Os participantes discutem situações do cotidiano escolar, planejamento das aulas, instrumentos de avaliação, entre outros assuntos. Em 2014, o foco será o ensino da matemática. O programa também está presente em 40 escolas estaduais do Vale do Aço.

Os encontros são realizados na Fundação Aperam Acesita, instituição que atua como parceira da Secretaria Municipal de Educação. “Nosso papel é apoiar e fortalecer boas iniciativas, que contribuam para a melhoria da qualidade do ensino em nossa região. A formação de pessoas críticas e conscientes passa, sem dúvida, pelo aprendizado da leitura e escrita”, comenta o presidente da Fundação Aperam Acesita, Venilson Vitorino.

Para a secretária de Educação do município de Timóteo, Cecília Maria Martins Reis Siqueira, um dos destaques do programa é o incentivo à educação continuada para os professores, que trará, como consequência, a evolução no processo de alfabetização. “A Fundação atua de forma parceira não apenas no que se refere a essa iniciativa, mas também nas demais quando se trata do desenvolvimento da educação. Esse apoio é muito importante”, avalia Cecília.

Compartilhar: