Revista Espaço

Atuação integrada

Inox 441, com alta performance de estampagem na produção de coletores para carros, cai no gosto de fabricantes e montadoras

2

A equipe do Centro de Pesquisa desenvolveu inox com alta performance em conformação

Como se não bastasse ser reciclável, o inox, com apoio da equipe do Centro de Pesquisa da Aperam South America e do trabalho conjunto de outras áreas da Empresa, conseguiu outro jeito de ajudar o meio ambiente. Depois de quatro anos de simulações em laboratório, testes industriais e com os clientes, o aço inoxidável 441, aplicado em sistemas de exaustão de veículos leves, consolida-se como alternativa para reduzir a quantidade de gases emitidos na atmosfera. “Nosso trabalho teve como principal desafio desenvolver um produto com o desempenho certo para essa aplicação e alto índice de aceitação no mercado”, conta o pesquisador Hélio Alves, do Centro de Pesquisa da Aperam.

Isso é possível porque os coletores de gases feitos com o material podem ser submetidos a temperaturas acima de 750°C, o que possibilita maior proximidade dos coletores com o motor. Com a menor distância, é possível transportar mais rapidamente os gases nocivos para o catalisador do veículo, onde são transformados em outros, menos poluentes.

O resultado positivo deve-se às mudanças propostas no fluxo de produção que otimizaram a microestrutura e textura desse aço, por meio de melhorias em todas as etapas do processo. Os ajustes foram realizados desde a Aciaria até as Laminações a Quente e a Frio, adequando o material para uma condição de alta performance em conformação. O metalurgista Ricardo Faria, da área de Metalurgia do Inox, conta que um dos desafios no processo é a adequação da pesquisa para a produção em grande escala. “Nossa missão foi promover adaptações que garantissem um processo robusto, de forma a manter o padrão de desempenho previsto para esse aço inoxidável”, esclarece.

Resultado nas ruas

Se dentro da Usina o desenvolvimento do inox 441 trouxe benefícios, do lado de fora não foi diferente. Aplicado por meio da estampagem, o produto conseguiu absorver a complexidade das diferentes geometrias de peças e as próprias variações de processo de estampagem para a produção de coletores. Além disso, conquistou grande aceitação no mercado e faz parte dos projetos de coletores produzidos pela Marelli, Faurecia, Tuper e Tenneco, para as montadoras Volkswagen, Toyota, General Motors e Fiat. De 2010 a 2012, a Aperam vendeu mais de sete mil toneladas do aço inoxidável 441 para essa finalidade e a expectativa é de que o volume chegue a dez mil toneladas em 2013.

“Esse produto é diferenciado em relação aos nossos concorrentes pela economia gerada e bom desempenho, o que ajuda a Empresa a obter boa vantagem nesse mercado. Nossos resultados foram, desde o início, muito positivos”, afirma o gerente executivo de Desenvolvimento de Mercado e Assistência Técnica, Roberto Guida.


Antes e depois1

Em 2005, os coletores de gases, que antes eram feitos com ferro fundido, passaram a ser produzidos com tubos de inox. Quatro anos depois, os tubos começaram a sair de cena para dar lugar aos coletores desenvolvidos a partir de peças estampadas, permitindo reduções de peso e de custo.

Compartilhar: